29 de novembro de 2020 - 16:02

Polícia

02/10/2020 10:18

Com mais de 100 ocorrências de queimadas, Defesa Civil investe em novos equipamentos

A Defesa Civil de Cuiabá atendeu mais de 100 ocorrências de pequeno porte, incluindo em áreas públicas, somente neste ano. As chamadas deram origem a aproximadamente 43 processos de autos de infração, totalizando mais de R$ 3 milhões de multas aplicadas. Diante da alta demanda, o órgão municipal investiu na aquisição de novos equipamentos, com o intuito de combater de forma ainda mais efetiva as queimadas urbanas.   

As equipes de combate ao fogo são acionadas por meio das denúncias efetuadas diretamente na Defesa Civil, pelo telefone (65) 3623-9633, ou a partir das informações recebidas via Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP).
 
Nesta semana, foram adquiridos mais cinco assopradores de ar para combate ao fogo no mato, quatro tanques rígidos para 1.000 litros de água, cinco motobombas de alta pressão e uma carreta rodoviária, equipada com tanque rígido, motobomba e mangueiras. A compra faz parte das ações previstas no Projeto Quadrante de Prevenção e Combate às Queimadas Urbanas, desenvolvido por meio da Brigada da Defesa Civil de Cuiabá.
 
“Com esses novos equipamentos, esperamos uma maior efetividade das ações de prevenção e combate, resultando em menores índices de ocorrências e melhorando a qualidade do ar. O resultado desse empenho será refletido na diminuição dos danos a saúde da população. Além disso, o brigadista também tem sua condição de trabalho melhorada”, destaca o diretor de Proteção e Defesa Civil, Engº José Pedro Ferraz Zanetti.
 
O Projeto Quadrante teve início em julho deste ano e, até o investimento nos novos equipamentos, a equipe de combate atuava com uma caminhonete cabine dupla, com um tanque rígido capacidade de 1.000 litros de água, uma motobomba com mangueiras de alta pressão, bombas costais, assopradores de ar e abafadores.
 
Crime ambiental
 
O uso do fogo em terreno urbano é crime ambiental em qualquer época do ano, previsto na Lei federal nº 9.605, que estipula como sanções multa e/ou reclusão de 1 a 4 anos. Na zona rural, o período proibitivo este ano vai de julho a setembro. A Lei complementar nº 004/1992 também proíbe as queimadas de vegetação nos terrenos baldios. Mesmo que o dono do terreno não tenha dado início ao fogo, é dele a responsabilidade pelo cuidado do imóvel. A multa começa com R$ 950 e aumenta conforme o tamanho do terreno.
 
O Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), pelo telefone 193, é a principal fonte receptora de denúncias de queimadas, cujas ocorrências são atendidas prioritariamente pelo Corpo de Bombeiros. A Defesa Civil municipal também atua nesses casos e está apta a receber denúncias pelo telefone (65) 3623–9633, em horário comercial, ou pelo e-mail [email protected].


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.