08 de julho de 2020 - 20:11

Cultura

O VIOLÃO E A ANDRAGOGIA

O termo andragogia (segundo a definição cunhada na década de 1970 por Malcolm Knowles), é a metodologia de ensinar adultos a aprender.

Para os adultos as incógnitas são mais frequentes. Com isso nos deparamos com o primeiro ponto do nosso estudo. A necessidade do saber. Os adultos precisam entender o que vão fazer, porque vão fazer e porque tem que ser desse jeito ou daquele, para obter a autoconfiança de que desta maneira será proveitoso o aprendizado.

Embora a resistência na fase adulta impere, teremos profissionais e alunos mais centrados e responsáveis. Chegamos no autoconceito. O aluno precisa sentir-se peça chave do aprendizado individual ou coletivo. Funciona como uma empresa, você aplica a tarefa ou atribuição e se o funcionário (aluno), sentir-se parte fundamental atingira o sucesso da ação. Atividades que o exponha pode ser produtivo, como competições online na espécie de fóruns ou discussões pois promove a busca pelo conhecimento.

É sempre importante avaliar experiências antigas, como por exemplo; se alguma vez já fez aula do instrumento, se por acaso sim, identificar os possíveis bloqueios, o porque sua experiência musical não obteve sucesso, e buscar analisar os pontos de bloqueio para que se busque uma proposta de ensino adequado para tal situação.

A palavra emoção, deriva do termo latino emovere, onde o e- (variante de ex-) significa "fora" e movere significa "movimento". A parte do cérebro que armazena toda essa linha neuronal é o hipocampo responsável pelas recordações. Pode ser um sonho de criança, uma necessidade já da fase adulta ou uma indicação para reforçar os processos musicoterápicos de reabilitação. Na andragogia é importante que os educadores trabalhem com o estimulo da emoção, músicas que o aluno conheça e sinta vontade de tocar, que evoque nele recordações e vontades armazenadas no hipocampo, que o deixe sempre feliz. Não é necessário que saia tudo perfeito inicialmente, que tenha uma cobrança rígida do politicamente correto, porém, mesmo não surtindo o efeito desejado por parte do professor, o importante é perceber que o aluno esteja visualizando seus avanços e seus aprendizados em pequenos detalhes.

Estudar música com objetivos, com docência de qualidade técnica e conhecimento pedagógico especifico e neurociência aplicada a música, a você que busca uma terapia, uma atividade prazerosa ou algo mais técnico, um direcionamento sobre a atividade musical trazendo assim benefícios psicológicos, onde tal benefício atuará juntamente aos neurônios e hipocampo, aumentando as fibras do corpo caloso, fazendo com que tenha constantes avanços neurológicos prevenindo doenças degenerativas da mente.

 

Ricardo Alberto Basso

Professor de Violão

Escola de Música Campo Verde

 


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.