23 de outubro de 2019 - 17:38

Polícia

30/09/2019 17:01

Corpo de jornalista tinha marcas de pedradas

Marcelo Ferraz Leite, que também era advogado e escritor, estava desaparecido desde o último sábado

O delegado da DHPP Fausto José de Freitas da Silva, que está a frente do caso

O corpo do jornalista Marcelo Leite Ferraz, de 38 anos, que foi encontrado na tarde desta segunda-feira (30) em Cuiabá, tinha diversas marcas de pedradas e um aparente afundamento craniano. 

A informação foi confirmada  pelo delegado Fausto José de Freitas da Silva, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o caso. 

Marcelo estava desaparecido desde a noite de sábado (28), quando disse a familiares que se encontraria com amigos na Praça da Mandioca, região de bares no Centro Histórico de Cuiabá. Desde então não foi mais visto com vida.

 Conforme o delegado, o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) e passará por perícia para que sejam identificadas as lesões e a causa da morte. 

“O corpo foi para o IML, que irá apurar com mais detalhamento as lesões. Eram lesões de pedras, pois tinham pedregulhos no local com marcas de sangue. E aparentemente houve um afundamento craniano” 

 

Além do delegado, o irmão do jornalista, Guto Ferraz Júnior, publicou em uma rede social que o corpo do irmão foi entrado com marcas de pedras.

 

“Obrigado a oração de todos, mas meu irmão foi assinado a pedradas... Deus abençoe a todos!”.

 

De acordo com o delegado, é necessário colher ainda informações com familiares e aguardar os exames para iniciar uma linha de investigação.

 

“Nós ainda estamos fazendo um levantamento, temos informações preliminares, mas ainda iremos checar. Estamos levantando todo o histórico da vida da vítima para tentar traçar a linha de investigação”, disse.

 

 


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.