19 de junho de 2019 - 09:51

Política

Selma ironiza possível candidatura de Taques para sua vaga: “coitado, não se elege para mais nada”

A senadora Selma Arruda (PSL) afirmou que “recebeu com certa dose de humor” os rumores de que o ex-governador Pedro Taques (PSDB) estaria de olho em sua vaga no Senado. A pesselista responde a uma ação, movida pelo Ministério Público Federal (MPF), que pede sua cassação por suspeita de abuso de poder econômico e de gastos ilícitos de campanha. Sem comentar o processo, a parlamentar – que se tornou rival de Taques nas últimas eleições – não mediu palavras contra o tucano e disse que após sua “má-administração” no Governo de Mato Grosso, tem certeza que o ex-governador “não se elege para mais nada”.

“Ele vai ter que dobrar os votos que ele fez como candidato a governador para ter alguma chance, se for contar como parâmetro os votos que eu fiz. Eu acho que ele, coitado, infelizmente não se elege para mais nada. Inclusive, se a gente for colocar o nome dele ao lado de escândalos como o da grampolândia, como esse saco sem fundo de crise que ele largou o Estado, sua má-administração, envolvimento de parentes em crimes de toda espécie”, ironizou a parlamentar.
A informação sobre o suposto desejo de Taques em ser candidato ao Senado consta em reportagem da Folha de S. Paulo, da última quarta-feira (06). O texto é um apanhado do processo contra a senadora mato-grossense e traz bastidores de uma verdadeira “corrida” que se iniciou pela cadeira de Selma Arruda, que sequer foi desocupada.
Entre os interessados no cargo estariam o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD). A reportagem não menciona o ex-senador Blairo Maggi (PP) e, apesar do progressista ter anunciado sua saída da vida pública, Selma o citou, em entrevista ao Olhar Direto, como possível concorrente.
“Assim como também penso que Blairo Maggi não tem a mínima condição de se eleger ao Senado Federal, porque também tem envolvimento com operações da Policia Federal, está sendo processado na Justiça Federal e por respeito aos mato-grossenses, ele deveria deixar pelo menos que esses processos corressem. Que ele prove sua inocência ou que seja condenado logo, cumpra sua pena e depois ele vai tentar se eleger”, disparou a senadora.
A defesa de Selma Arruda não enxerga a possibilidade de cassação, por não identificar crime eleitoral na campanha da senadora líder de votos. “O que as pessoas não compreendem quando ficam se colocando à disposição de mandato que tem dona, é que o meu mandato foi constituído por 678 mil votos e são essas pessoas que tem de ser respeitadas”, pontuou a parlamentar.

Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.