25 de agosto de 2019 - 02:19

Política

Greve

 

Sem receber salário, funcionários de limpeza da UFMT devem paralisar serviços

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) está com o serviço de limpeza comprometido por conta de atraso salarial ao funcionários, que devem iniciar uma paralisação geral a partir desta terça-feira (30), caso o problema do pagamento, que já dura mais de um mês, não seja resolvido.

Nesta segunda-feira (29), uma assembleia foi agendada com o sindicato dos servidores e a empresa tercerizada Presto Serviços e Conservação Ltda para discutir a situação, mas os sindicalistas não compareceram.
O Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos (Sintuf-MT), que vem prestando apoio aos servidores, informou que uma nova audiência no Ministério Público está marcada para esta terça-feira (30).
"São mais de cem trabalhadores que atuam na limpeza, jardinagem e outros serviços dentro da UFMT. Com média salarial de mil reais, não há condições de continuarem pagando o ônibus e alimentação. Ninguém quer entrar em greve, ainda mais porque sabemos as consequências para o campus e também para o trabalhador, mas a situação chegou ao limite. Eles procuraram ao Sintuf que prontamente se colocou à disposição para auxiliar neste momento de dificuldade", destacou a coordenadora geral do Sintuf, Luzia Melo.
Ainda de acordo com a sindicalista, a administração da universidade garantiu que está em situação regular com o contrato. "A UFMT nos passou a informação que está cumprindo o contrato, ou seja, o atraso salarial é responsabilidade da Presto".
 

Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.