22 de setembro de 2019 - 18:17

Saúde

05/07/2019 19:33

Campanha contra hepatite pretende reforçar ações de vigilância e prevenção

O mês de julho foi escolhido para a promoção da conscientização sobre as hepatites virais

Rose Velasco | SES-MT 

Em Mato Grosso, no ano de 2018, foram notificados 806 casos de Hepatites Virais, sendo 36 de Hepatite A, 535 de Hepatite B e 235 de Hepatite C. - Foto por: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

A Campanha Julho Amarelo faz referência ao dia 28 de julho, data escolhida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para celebrar o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais. Para este ano, a meta da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) é reforçar as iniciativas de vigilância, prevenção e controle da doença.

De acordo com a equipe do Programa Estadual de Controle das  Hepatites Virais, que integra a Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, no ano de 2018 foram notificados 806 casos de Hepatites Virais, sendo 36 de Hepatite A, 535 de Hepatite B e 235 de Hepatite C.

Segundo a técnica Regina Nascimento, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para todos por meio da Rede Municipal de Saúde nos 141 municípios, independentemente do grau de lesão do fígado. “Realizar o diagnóstico precoce das hepatites é um dos principais determinantes para evitar a transmissão ou a progressão dessas doenças e suas graves consequências”, alerta a técnica do programa estadual.

Quando o tratamento é seguido corretamente, a Hepatite C tem cura em mais de 90% dos casos. As hepatites B e D têm tratamento e podem ser controladas, evitando a evolução para cirrose e câncer.

O que são hepatites?

As hepatites virais são inflamações do fígado, podendo ser causadas por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas, sendo classificadas por letras do alfabeto: A, B, C, D, E.  Em alguns casos, são doenças silenciosas, que nem sempre apresentam sintomas.

Muitas pessoas só percebem que estão doentes quando as manifestações já são graves, como cirrose ou câncer de fígado. “Esses pacientes levam anos para descobrir que estão infectados”, alerta Regina Nascimento.

As hepatites são doenças que podem apresentar alguns sintomas como: cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura, fezes claras. O diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar a evolução da doença – por isso é importante priorizar os exames.

O diagnóstico pode ser feito por testes rápidos, que dão o resultado em uma hora. Também existem exames feitos em laboratório da Rede Pública de Saúde. A SES-MT orienta a população para a importância do exame de hepatite B durante o pré-natal.

A vacina é uma das formas de prevenção contra as hepatites do tipo A e B – e quem é vacinado para o tipo B, também se protege da hepatite D. A vacina está disponível no SUS, de acordo com o Calendário Vacinal de cada município. Para os demais tipos de vírus, não há vacina e o tratamento deve ser indicado pelo médico.

Formas de transmissão

A transmissão da doença pode ocorrer em ambientes com condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos (hepatite A e E); por contato com sangue por meio de compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam (vírus B, C e D); durante a gravidez e o parto; pela relação sexual desprotegida (hepatite A, B, C e D); ou por transmissão via transfusão de sangue ou hemoderivados.

A hepatite A é uma doença aguda e o tratamento se baseia em dieta e repouso. Geralmente melhora em algumas semanas e a pessoa adquire imunidade, ou seja, não terá uma nova infecção. Todas as hepatites virais devem ser acompanhadas pelos profissionais de saúde, pois as infecções podem se agravar.

Prevenção

Existem várias medidas que podem evitar a transmissão das hepatites virais: usar preservativos em todas as relações sexuais; exigir materiais esterilizados ou descartáveis; não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure; não compartilhar o uso de lamina de barbear ou de depilar; não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para drogas inaladas e pipadas, como o crack.

Em Mato Grosso, para dar destaque à Campanha do Julho Amarelo, o ambulatório de infectologia do Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM) estará realizando testagem rápida para Hepatites B e C, Sífilis e HIV no dia 19 de julho, a partir das 8h. O agendamento é realizado pelo próprio HUJM.


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.