22 de abril de 2024 - 08:54

Artigos

09/10/2023 12:19

Ingestão em excesso de proteína traz riscos para a saúde e não auxilia no crescimento dos músculos

Descubra o papel fundamental da proteína, os efeitos benéficos e os perigos dos excessos

 

Influenciadores fitness desempenham um papel significativo na divulgação de dietas ricas em proteínas e na promoção de produtos como whey protein, barrinhas e shakes proteicos. Embora muitos desses produtos e planos alimentares possam ser benéficos em certas circunstâncias, é fundamental ter um olhar crítico e buscar informações equilibradas.

É importante lembrar que o consumo exagerado de proteínas não é necessariamente a chave para alcançar o crescimento muscular ou obter resultados fitness desejados. O corpo humano tem limites para a absorção e utilização de proteínas, e ultrapassar esses limites não resultará em ganhos adicionais.

 

O médico em endocrinologia e metabologia esportiva, Dr. William Hafemann Viana, explica que a proteína é um macronutriente essencial para o funcionamento adequado do corpo humano. Ela desempenha uma infinidade de funções vitais, desde a construção e reparo dos tecidos musculares até a produção de enzimas e anticorpos. A proteína é composta por aminoácidos, os blocos de construção que são necessários para a síntese de proteínas em nosso corpo.

 

Composição corporal: Uma dieta rica em proteínas pode ajudar no aumento da massa muscular e na perda de gordura. A proteína fornece os aminoácidos necessários para a síntese de proteínas musculares e ajuda a manter um balanço positivo de nitrogênio, essencial para o crescimento e reparo muscular.

 

Saúde óssea: A ingestão adequada de proteínas, em combinação com exercícios físicos, pode promover a saúde óssea. Ela desempenha um papel na formação e manutenção dos ossos e auxilia na absorção de minerais importantes como cálcio e fósforo.

 

Energia e transporte de oxigênio: A proteína é essencial para a produção de energia e o transporte de oxigênio pelo corpo, por meio da hemoglobina presente no sangue. Além disso, a proteína desempenha um papel na produção de enzimas que são necessárias para várias reações químicas em nosso organismo.

Sistema imunológico: A proteína é necessária para a produção de anticorpos, fundamentais para o funcionamento adequado do sistema imunológico. Os anticorpos ajudam a combater infecções e doenças, mantendo o corpo saudável.

 

Criação e manutenção de células: A proteína é essencial para a criação e manutenção de células saudáveis. Ela desempenha um papel na síntese de DNA, RNA e outras moléculas importantes para o funcionamento celular.

 

 

Excesso de proteína no organismo, quais são os riscos?

 

Embora a proteína seja vital para o corpo humano, consumi-la em excesso pode acarretar riscos à saúde. O organismo possui limites para a absorção e utilização de proteínas, e ultrapassar esses limites pode ter consequências negativas. O Dr. William Hafemann Viana alerta sobre os malefícios:

 

Sobrecarga renal: O consumo excessivo de proteínas pode sobrecarregar os rins, levando a complicações renais. Os rins desempenham um papel crucial na excreção de resíduos nitrogenados provenientes do metabolismo de proteínas, e um consumo exagerado pode colocar uma pressão excessiva sobre esses órgãos.

Risco de doenças cardíacas: Algumas evidências sugerem que altos níveis de proteínas animais, especialmente de fontes não saudáveis, podem estar associados a um maior risco de doenças cardíacas. É importante buscar uma variedade de fontes de proteínas e incluir opções saudáveis, como legumes, grãos integrais e nozes.

 

Perda de cálcio nos ossos: O consumo excessivo de proteínas pode levar à perda de cálcio nos ossos, aumentando o risco de osteoporose e fragilidade óssea. Isso ocorre porque a digestão e o metabolismo das proteínas resultam em produtos ácidos que precisam ser neutralizados pelo organismo, e o cálcio é um dos minerais usados nesse processo.

 

Risco de certos tipos de câncer: Estudos sugerem que uma ingestão excessiva de proteínas, especialmente de fontes animais, pode estar relacionada a um maior risco de certos tipos de câncer, como câncer de cólon e câncer de próstata. Mais pesquisas são necessárias para entender completamente essa associação, mas é importante considerar a moderação no consumo de proteínas.

 

Para alcançar uma vida saudável e equilibrada, é fundamental considerar todas as necessidades nutricionais, incluindo proteínas, carboidratos, gorduras saudáveis, vitaminas e minerais. O acompanhamento de um profissional de saúde pode fornecer orientações personalizadas e ajudar a evitar os perigos dos excessos de proteína.

 

“Lembre-se de que a saúde é um conjunto de hábitos e escolhas equilibradas. Mantenha-se informado, busque orientação profissional e desfrute de uma dieta variada e benéfica, que atenda às suas necessidades individuais para alcançar uma vida plena e saudável”. Conclui o Dr. William Hafemann Viana.

 

 Dr. William Hafemann Viana CRM: 101.602

Médico em endocrinologia e metabologia esportiva. Com formação em Medicina pela Fundação André Arco Verde - Faculdade de Medicina de Valença, ele é dedicado a ajudar seus pacientes a alcançarem uma saúde ótima por meio do diagnóstico, tratamento e prevenção.

 

Formação Acadêmica:

  • Graduação em Medicina: Fundação André Arco Verde – Faculdade de Medicina de Valença
  • Pós-graduação Lato Sensu em Endocrinologia e Metabologia: IPEMED/SP

Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.