18 de outubro de 2021 - 14:22

Cultura

Mixurum dos Saberes Tradicionais das Quilombolas do “Mata Cavalo”.

O coletivo das mulheres quilombolas do complexo do Quilombo Mata Cavalo, localizado em Nossa Senhora do Livramento, a 42 km de Cuiabá, foi contemplado pela SECEL-MT- (Secretaria de Estado da Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso), através do “MT Nascente,” com o projeto: Mixurum dos saberes tradicionais das mulheres quilombolas do “Mata Cavalo de Cima”.

   O coletivo de mulheres da comunidade de Mata Cavalo de Cima, darão continuidade às atividades com materiais do próprio bioma local (cerrado e pantanal) tais como: folha de babaçu, coco de babaçu, argila, sementes de mamonas, frutas típicas da região, mamão, goiaba e mandioca.

Os cursos serão gratuitos, ministrados por membros da comunidade, ensinando e incentivando a confecção de produtos regionais:  óleo de mamona, óleo de coco de babaçu; fabricação de doces de mamão, goiaba, caju etc; a oficina de corte e costura vai replicar vestimentas e turbantes afro; a oficina de musicalização será com a viola de cocho, ganzá, e a bruaca; na área da saúde integrativa, haverá curso de ervas medicinas utilizadas tradicionalmente e rezas cantadas.

 A grande meta é a transmissão e a circulações dos Saberes e Fazeres das Mulheres do Território Quilombolas de Mata Cavalo de Cima, repassando e salvaguardando os modos de viver, trabalhar, preparar os alimentos, de rezar, de cantar e dançar. Já o relacionar-se com a natureza ganha dimensão de universalidade e de eco sustentabilidade.

As tradições quilombolas, tidas como saberes populares, nesta apreciação pedagógica, serão resignificados no status de uma cultural rica e diversificada. Sensibilizar a nova geração quilombola a aprender a arte desses ofícios é fundamental para revalorizar e enaltecer saberes e fazeres quilombolas.

Para confeccionar esses produtos quilombolas é necessário a parceria-fomento dos órgãos governamentais, a sensibilização da comunidade, através da educação para mudar a mentalidade para consumir produtos agroecológicos, naturais, no viés do consumo consciente.  

                                            As oficinas e demais ações desse projeto atende jovens, adultos e melhor idade, com acréscimo de renda, para manter e garantir a permanência no quilombo. Parte da juventude da comunidade emigra para centros maiores, buscando oportunidade profissionais e meios de renda, abandonando a zona rural.

             Produzir e comercializar os produtos regionais, artísticos e culturais, mostra aos participantes das oficinas o caminho da renda, com melhoria em sua qualidade de vida. Gerar trabalho, renda, incentivar a cultura local e reverenciar o passado para a proponente do projeto Zulmira Maria Lucio, presidente da Associação de Mulheres Quilombola da Comunidade de Mata Cavalo de Cima destaca: “que atenderemos toda faixa etária das comunidades, pois têm grande demanda; pessoas vulneráveis economicamente e com este incentivo vão continuar suas atividades na localidade”.

O Projeto insere na sociedade comercialmente ativa, os produtos confeccionados pelos remanescentes de escravizados do Quilombo Mata Cavalo, trazendo valorização da cultura dos afrodescendentes, observada no ambiente de ensino aprendizagem, e vivenciam o reconhecimento de si mesmo, com um novo olhar, vendo-se como pertencentes ao povo da diáspora africana; que hoje são também o povo brasileiro.

A inclusão social e econômica das comunidades quilombolas ao alcance de todos oportuniza o direito à cidadania, o aumento do mercado dos bens culturais e o direcionando dos lucros do turismo para de artesãos quilombolas é um desejo nosso destaca Laura Silva líder quilombola da Comunidade Ribeirão do Mutuca.

O fortalecimento da produção cultural, dá aos quilombolas, caminhos para geração de renda, para produção e venda das suas artes. Laura Silva afirma: “sabemos que a diversidade cultural e gastronômica, a criatividade, originalidade dos produtos quilombolas são atrativos para o turismo cultural.

 

 

Atividades:

 

Oficina de Penteado Afro.

Oficina de doce caseiro.

Oficina de Confecção de artesanato. (Material folha de babaçu)

Oficina de Peças e acessórios de barro.

Oficina de Confecção de Corte de Costura. (turbante, saia, blusa, camisetas e acessórios afro.)

Oficina de Produção de óleo de mamona e babaçu.

Oficina de Ervas medicinais.

Oficina de Maquiagem Afro.

Oficina de musicalização da Viola de Cocho e Ganzá.

Oficina de capoeira.

Oficina de Dança de Siriri - capacitação em cênicas. (dança e teatro)

Oficina Palestras-diálogos arte-educativas sobre temas referentes ao universo afrodescendente e os desafios da comunidade.

Oficina sobre Prevenção da saúde Negra Quilombola. (Mapeamento sobre saúde negra.)

Exposição dos produtos confeccionados no projeto.

 

 


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.