28 de setembro de 2020 - 18:46

Cultura

Lançamento do Livro: Diário de uma ex-mãe

 

Uma Obra de Célia Alves, escritora mato-grossense,em um momento difícil encontrou o conforto que precisava na escrita, a melhor forma de expressar os sentimentos dela, refletir sobre as próprias vivências de uma perda inesperada.

O livro será lançado no dia: 23 de Setembro/2020 (Quarta-feira) Horário: 18 horas
Local: Roots Açaí e Café - Rua Sírio Libaneza, 30 - Goiabeiras, Cuiabá – MT

 

Você já ouviu falar em ex-mãe?

É quando a dor se aproxima. Mas, mesmo com a aparência de sofrimento, ela vem cheia de amor, um sentimento que transborda, transforma e fortalece.
Quando você pensa na expressão ex-mãe, um misto de questionamentos pode vir à tona. No entanto, tudo se torna claro quando há a compreensão que uma mãe nunca estará sozinha, e que a nobreza de ser mãe é a presença do amor, seja ele aonde for. É dessa maneira que este livro aborda a trajetória da escritora Célia Alves, que teve uma gestação interrompida, sofreu, sentiu dores, cansou e ajoelhou-se ante à busca de entendimento, e não perdeu a fé. Ela acreditou, agradeceu e se tornou
resiliente. Tornou-se a prova, como muitas mães, que um laço materno jamais se rompe. A autora define que o instinto materno nasce a partir do momento que se ouve "positivo", lê-se "reagente", ou, quando os dois tracinhos vermelhos aparecem no exame de farmácia. Para ela, mãe é mãe, ponto final.

Célia Alves é publicitária, mãe dos 3 Joões. Além de 4 patas da Kate e da Amy. Amor do Cairo. Filha da Dona Maria Helena e do Seu Ademyr, irmã da Hara e do Beto. Ex-professora e ex-apresentadora de rádio. E, aos 39 anos, ex-mãe. Não foi para a autora incluir esse "titulo" no currículo. Ser "ex" significa perder algo, e aceitar a perda de um filho não faz parte da natureza humana. Teve que aprender de uma forma triste e dolorosa que algumas coisas acontecem como tem que ser, não como são planejadas. São os planos de Deus, simples assim. E coube à ela aceitar e aprender com cada lágrima derramada. Neste livro Célia abre o diário de ex-mãe para contar a história do Bento, que apesar de ser um anjo, jamais será "ex" no meu coração.


Título do livro: Diário de uma ex-mãe

Páginas: 94 / Edição: 1ª / Preço: R$ 35,00 / Formato: 14 x 21cm / Acabamento: Brochura ISBN: 978-65-990096-2-4 Categoria: Criação de filhos; Diário; Família, Literatura Brasileira; Lançamento: Umanos Editora, Cuiabá: 2020. (www.umanoseditora.com.br)

 

Contato:

Néliton Góis

Diretor de marketing - E-mail: [email protected]
65-9 9629-3453

 


O Guardião da Beleza 

 
 

O ceramista Osmar Virgílio tem no barro sua alegria.  

Autodidata, aprendeu o ofício só observando os antigos ceramistas da capital Cuiabá.

Hoje aos 50 anos diz que percorreu um longo caminho até conseguir viver da arte. 

São 35 anos trabalhando com prazer e alegria.

Produz para seu ateliê e também para outros profissionais que pintam suas obras.

Nesse período tornou-se professor e ama ensinar tudo o que sabe.

Domina a arte do torno e em poucos minutos consegue moldar lindíssimas peças.

Ao se sentar para moldar as peças diz que entra em transe profundo. 

Passa o dia moldando suas obras e não raras vezes vira a madrugada criando e dando vida ao barro. 

Ensina sempre com sorriso largo e muita simplicidade; em sua humildade não se reconhece como artista. 

As suas peças estão espalhadas nos quatro cantos do mundo e são muito apreciadas por turistas e estrangeiros. 

Para encontrá-las basta se dirigir à Av. da Prainha em seu ateliê chamado "BARRO VIVO" .

 Gilda Portella 

Osmar Virgílio da Silva.
É Ceramista e Professor 
Ateliê Barro Vivo - Prainha - ao lado Centro Espírita Cuiabá.
Contato: 65 9903-4370 
 
 
 
 
 

OLHARes PARA sobre CORPUS PRETUS

 

 

A Exposição Virtual Coletiva Corpus Pretus é a primeira atividade da recém lançada virtualmente Casa das Pretas, coordenada por Paty Wolff em gestão coletiva de Gilda Portella, Natália Nogueira, Isabela Ferreira, Antonieta Costa, Jackeline Silva e Juliana Segóvia. A mostra virtual reúne sessenta e cinco artistas (65) de todo o Brasil e uma artista brasileira na Alemanha. São obras em pinturas, fotografias, colagens, aquarelas, artes digitais, esculturas, xilogravura, técnicas mistas, performances de cantorias e poesias, que manifestam a potência criativa das raízes africanas em nossa cultura.

O tema “Corpus Pretus”, é amplo, por isso abriga obras sobre corpos marcados, torturados física e emocionalmente pela Diáspora Africana e período escravocrata no Brasil, posto que isso reverbera nestes corpos e nas relações sociais contemporâneas.Ainda,“Corpus pretus” invisibilizados e sem representantes nos espaços de poder e visões estereotipadas, que hiper sexualizam esses corpus.

 

Para a Profa. Dra. Ana Luisa Alves Cordeiro 

“A exposição Corpus Pretus é espaço estratégico e necessário

Lugar de entrelugares que enfrenta racistas olhares

De afirmação de todo um potencial criativo de pessoas pretas

Historicamente deslegitimado e desperdiçado pelo racismo à brasileira

Desta potência que pulsa, existe e resiste diariamente

De uma vida insistente, que respira, inspira e sempre se quis força motriz!”  

Neste sentido, o tema “corpus pretus” é composta também por obras de ressignificação de imagens e olhares. A representação dos “Corpus Pretus”em situações de afeto, empoderados pela autoestima, dignidade e oportunidades, com suas múltiplas identidades reconhecidas e religados à ancestralidade de matriz africana e afrobrasileira, também compõe a exposição, que foi concebida para conter obras no caminho da descolonização das representações e olhares.

 

Para Maria Sylvia de Oliveira, Presidenta do Geledès-Instituto da Mulher Negra

“A exposição Corpus Pretus tem um significado muito especial num momento em que corpos negros lutam para ter o direito de respirar.Contra a desumanização e a invisibilidade essa exposição nos traz a possibilidade de ressignificar esses corpos pretos, projetando sobre eles a potência criativa do olhar artístico que lhes fecundam vida plena e dignidade.”

 Assinam a curadoria da exposição Paty Wolff (artista visual e geógrafa) e Gilda Portella (artista visual e historiadora), que pensaram e organizaram o percurso expositivo em sete salas temáticas:Corpus pretus de memórias imemoriais, Corpus pretus florescem a bença, Corpus pretus in natura, Corpus pretus movimentam, Corpus pretus transbordam esperanças, Corpus pretus querem continuar respirando e Corpus pretus transcendem o belo.

 

Para a Profa. Dra Cândida Soares, pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Relações Raciais e Educação (NEPRE) da Universidade Federal de Mato Grosso: 

"Corpus Pretus é uma proposta que parte do histórico, para adentrar no que há de mais extraordinário: a criatividade humana, que se materializa em todas as dimensões da vida e de modo especial na arte. Ao trazer essa exposição, a Casa das Pretas evidencia a força criativa da mulher preta que mobiliza, que movimenta, que toca, que impulsiona. Uma realização cujo significado transcende o aqui e o agora, o visível, o palpável para tocar os sentidos e impulsionar novas perspectivas de olhares e de significados, inspirando novas criações."

 

Para Beatriz Silveira, Advogada, Enfermeira Sanitarista e Articuladora Nacional da Nova Frente Negra Brasileira e no estado do RJ atua na Frente Favela Brasil: 

“Ao abordar a temática da negritude, a carga dos corpos escravizados e, ao mesmo tempo, o acolhimento, afeto e ancestralidade. Possibilitamos que a sociedade pense em corpos pretos sob o viés de uma afetividade aquilombada, que significa a rede de apoio, resistência e afeto que envolve o ser preto, a sua formação social e humana.

Essa rede é sinônimo de proteção e perpetuação de um povo, que mesmo invisibilizado e caçado, resiste. Projetos como esses são necessários porque humanizam. Transformam o objeto em  sujeito. E ao sermos vistos como humanos, geramos uma corrente de empatia e construímos uma sociedade com uma realidade com mais equânime.”

  A exposição virtual pode ser visitada em: https://corpuspretus.wixsite.com/expo/ no período de 25 de julho a 25 de setembro de 2020.

Realização

Centro Cultural Casa das Pretas

Instagram @casadaspretasmt

[email protected]

 

 


Lançamento do Livro “Rasuras Negras”

 

 

 

 

A poesia é sempre um convite. Leitura do mundo, vivências, amores, afetos, procuras, desencontros. A poesia teima no ato de existir em um mundo caduco, que privilegia o concreto, o palpável, o produtivo.

Essas procuras e desencontros se apresentam na obra "Rasuras negras", organizada pela escritora Helenice Faria, doutora em linguística pela Universidade de Brasília, e mestre em linguística pela UNEMAT.

A obra é um compilado de poemas de sete escritoras negras mato-grossenses. Os mais diversos temas compõem o livro: negritude, amor, afetividade, violência doméstica, ancestralidade, resistência, entre outros.

As vozes do livro são de Betsemens Marcelino, Helenice Faria, Claudia Franco, Jacinaila Ferreira, Luana Soares, Maria Fernanda Ferreira e Marlene Silva. Além disso, o prefácio da obra foi escrito por Cristiane Sobral, atriz, escritora, diretora de teatro e professora.

 

"Rasuras negras" será lançado no dia 14 de agosto no canal do Youtube "Palavras em movimento", às 19h30, horário de Mato Grosso (https://www.youtube.com/channel/UC2D8KR1V97sOAq9zbCRjBpA)

 

O livro pode ser adquirido diretamente com as autoras pelo valor promocional de 25 reais.


Exposição Virtual Coletiva Corpus Pretus

  

Exposição Virtual Coletiva Corpus Pretus reunirá virtualmente sessenta e quatro artistas (64)de Mato Grosso e outros estados brasileiros como Bahia, Pernambuco, Ceará, Alagoas, Paraná,São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, além de uma artista brasileira residente na Alemanha. Amostra terá obras em pinturas, fotografias, colagens, aquarelas, artes digitais, esculturas, xilogravura, técnicas mistas, performances de cantorias e poesias, que manifestam a potência criativa das raízes africanas em nossa cultura.

A plataforma virtual será lançada no Sarau de abertura neste sábado, 25 de julho de 2020 às 19 horas (horário de Cuiabá MT) na plataforma Google Meet no seguinte link https://meet.google.com/gun-fraf-mfq. Data importante para o movimento negro, pois é comemorado “Dia de Tereza de Benguela” e “Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha”.

A exposição é a primeira atividade do Centro Cultural Casa das Pretas e marca as comemorações do mês julho das pretas. A Casa das Pretas é coordenada por Paty Wolff em co-gestão colaborativa de Gilda Portella, Natália Nogueira, Isabella Ferreira, Antonieta Costa, Jackeline Silva e Juliana Segóvia. A Casa das Pretas é fruto de um sonho gestado dentro do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (IMUNE MT) em promover e dar visibilidade principalmente a artistas negros e negras de Mato Grosso.

Com o tema“Corpus Pretus”, quer ressignificar o olhar do expectador sobre os “Corpus Pretus” marcados, torturados física e emocionalmente pela Diáspora Africana e período escravocrata no Brasil, que reverbera ainda nas relações sociais. "Corpus Pretus” invisibilizados e sem representantes nos espaços de poder. Visões estereotipadas, que hiper sexualizam esses corpus.  Enxergar “Corpus Pretus” com afeto, respeito e empatia, eis o resultado do novo olhar descolonizado. “Corpus Pretus” merecedores de autoestima, dignidade e oportunidades, com suas múltiplas identidades reconhecidas.

Assinam a curadoria da exposição Paty Wolff (artista visual e geógrafa) e Gilda Portella (artista visual e historiadora).

Para Paty Wolff, “é cada vez mais necessário canais de comunicação aberto às artes criadas para artistas negros e aqueles, que subscrevem suas artes em não reafirmar o padrão excludente. Além disso, os artistas necessitam de visibilidade de suas obras, e o mundo virtual é um reinventar-se neste momento de pandemia do COVID-19”.

Para Gilda Portella a exposição “permitirá ao expectador se sensibilizar com a multiplicidade afro-brasileira em vários saberes e fazeres artísticos, percebendo quão rico e múltiplo é o berço africano, formador da força do patrimônio cultural brasileiro.”

A seguir, os artistas participantes: Ade Moreira, Adelina Barcelos, Airton Reis, Amanda Bambu, Ana Cacimba, Andréa Penha, Anna Maria Moura,  Antônio Carlos Ferreira (Banavita), Barbra. Ilustra,  Carina Valéria, Karla Mesquita, Célia Soares, Clau Costa, Cláudia Lara,  Cléia Melo, Cunto Neto,  Denissena, Diego Roberto de Oliveira Freitas, Dilson de Oliveira, Elaine Fogaça, Eliana Brasil, Érica Bastos, Eugênia Santana Goulart, Fred Gustavos, Helenice Faria, Isla Castro, Jacinaila Ferreira, Janaina Monteiro, Jefferson Gomes, Jenifer Costa, João Almeida, Karla Mesquita, Kênia Coqueiro, Laine Machado da Silva, Leandro Guimarães, Leandro Kelven, Leonardo Leoni, Letícia de Oliveira, Lia Amazonas, Lindalva Alves, Lourdes Duarte, Luana Soares de Souza, Luara Caiana, Lupita Amorim, Maria Fernanda Ferreira, Marta Azevedo, Meg Marinho, Miriam Venâncio, Murilo Kauê, Nhantumbo'space, Raimundo Mario Bomfim Passos, Raquel Bacelar, Raquel Silva, Regina Ortega Calazans, Rita Delamari, Rosângela Maria de Jesus, Rosylene Pinto, Sara Maria, Silvana Maris, Silvia Turina, Sônia Nigro, Sophia Cardoso, Terezinha Malaquias, Vanney Neves  e Vera Paixão.

  

Realização

Centro Cultural Casa das Pretas

Instagram @casadaspretasmt

[email protected]

 


FESTANÇA DE VILA BELA DA SANTÍSSIMA TRINDADE (MT): ANCESTRALIDADE NEGRA E DEVOÇÃO RELIGIOSA

   

"A Nossa Identidade tá ai: Vila Bela, Festança e o Povo Negro": Heranças da Comunidade Negra de Vila Bela da Santíssima Trindade - MT. Este o tema do estudo da pesquisadora Letícia Helena de Oliveira, em sua dissertação no Programa de Pós-Graduação em História Social, no Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A Festança de Vila Bela da Santíssima Trindade, ex capital de Mato Grosso, vive em Julho, durante doze dias e homenageia quatro santos católicos: Divino Espírito Santo, São Benedito, Três Pessoas da Santíssima Trindade e Nossa Senhora Mãe de Deus, na expressão de devoção religiosa, nas práticas culturais vindas dos antepassados africanos, vibrando nas danças do Congo e do Chorado.

Nestes doze dias, a população vila-belense narra a memória dos ancestrais negros e negras, suas heranças étnicas e culturais, elos vivos ao longo das gerações.

Vila Bela nasceu à direita do rio Guaporé, em 1752, como sede administrativa da Capitania de Mato Grosso; alimentada com o ouro da região guaporeana, junto à fronteira com a América espanhola.

Os veios auríferos formataram a nova capitania, de minas e fortes, para a proteção da demarcação portuguesa. Com a decadência da produção, transfere-se a capital para Cuiabá, em 1835. A elite branca veio para a nova sede e o povo da ex-capital ficou á mão dos descendentes de escravizados.

Esse episódio é a porta para a (re)elaboração da identidade dos negros remanescentes.

O grupo organizou-se em decisões coletivas, troca de experiências e compartilhamento de experiências. Em suas festanças ressignificaram signos e símbolos do catolicismo imposto e os integram aos costumes culturais africanos, revestindo suas práticas em estratégias de resistência, sobrevivência e seus direitos de encontro, organização e sociabilidade com outros grupos.

Essas expressões trans-culturadas permearam ao longo das gerações vila-belenses e são defendidas e resguardadas como um verdadeiro “ouro” pela população negra.

A sobrevivência dessas práticas culturais provam a força das heranças negras na área fronteiriça mato-grossense. E, nesse sentido, caminha a pesquisa de mestrado em História Social de Letícia de Oliveira sobre o festejo religioso de Vila Bela.  A pesquisadora ressalta: "Ao examiná-lo busco identificar, por meio das narrativas orais das moradoras e dos moradores negros, as permanências culturais e como os membros percebem sua ligação com o passado ancestral e ressignificam suas tradições e heranças. A Festança apresenta-se como elemento agregador e exteriorizador das raízes culturais, sociais e históricas do povo vila-belense, lhe fornecendo as bases para a formação identitária, legitimação e preservação de seus patrimônios culturais".

E prossegue em sua explicação: "Em um viés diaspórico e decolonial, considero potente as narrativas orais e as bandeiras levantadas pelas moradoras e moradores negros de Vila Bela. Assim sendo, apoiando-me em aportes teóricos como os postulados por Ecléa Bosi, Michel Pollak, Néstor Canclini e Stuart Hall intento compreender as reafirmações identitárias desse grupo nesse “tempo de festa”. Mary Del Priore (2000), ao analisar as festas no Brasil Colonial, assinala que esse período não somente diverte e provoca uma quebra na rotina, também desempenha importantes funções sociais: promove a ligação dos membros da comunidade e reinvindicações dos grupos."

A Festa do Congo e a Dança do Chorado mantêm viva a chama cultural e artística da populaçãovila-belense - Fonte das imagens: Letícia Oliveira, 2019.

       

Nessa abordagem o município de Vila Bela da Santíssima Trindade, em sua Festança,  segundo Letícia de Oliveira:  "que a população negra reivindica seu protagonismo, exterioriza a ancestralidade e reafirma as identidades étnica, cultural e comunitária. O resgate e ressignificação de traços da cultura africana somada a devoção aos sacrossantos representa todo o ciclo festivo. Esses elementos valorizam a história pretérita e, fazendo o mesmo percurso realizado pelas gerações pregressas, é conservada a cultura tradicional vila-belense".

Perguntada porque escolheu esse tema e o que mais encantou, Letícia de Oliveira responde: " quis compreender lado dos moradores sobre sua própria cidade. A Festança foi algo que me encantou por ver que os moradores e moradoras negras mantinham um festejo desde o tempo em que estavam relativamente isolados (relativamente, pois havia relações com as localidades vizinhas), após a transferência de capital para Cuiabá".

E prossegue falando que quando se questionava durante a pesquisa: O que faz um grupo manter uma festa? Letícia de Oliveira revela que é uma superação das barreiras academicistas trilhadas no eixo Sudeste e Nordeste e ressalta que há a necessidade de congregar as diferentes festas como uma forma de enfrentar a segregação, o silenciamento e é luta contra o racismo: "Uma festa enquanto uma herança que define as identidades daquele povo. A Festança é cheia de sentido para os moradores e para quem vê de fora. Ancestralidade latente no uso de turbantes, batucadas do Congo, dança de roda e pés descalços no Chorado, sacrossanto negro, nas diversas representações, nos modos de fazer e festar. Ela é a memória da África nos sertões mato-grossenses. Assim, escrever sobre uma festa tradicional que tem a frente uma população negra da região fronteiriça de Mato Grosso propõe superar o eixo de análise dessa temática no Sudeste e Nordeste do Brasil e interligar a multiplicidade das manifestações culturais que definem os grupos afro-brasileiros e afro-americanos. Conectar as festas negras das diferentes regiões do país é congregar a luta contra a segregação dos grupos, o silenciamento e o racismo. E mais: garantir a existência deles na história - e em nossa memória. Me encanta tudo isso que representa essa festa. Mas, sobretudo, a entrega e respeito dos negros e negras vila-belenses em torno dela".

Destaca ainda que sempre se interessou pela história da África e dos negros no Brasil  e ficou curiosa quando trabalhava no setor de conservação e restauro no acervo central do IPHAN, no Rio de Janeiro, e ao organizar o inventário e o processo de tombamento dos monumentos históricos de Vila Bela tomou consciência desse universo cultural  riquíssimo e pouco estudado.

A partir desse primeiro contato com a documentação, fez a monografia de conclusão de curso com narrativas do órgão federal sobre a cidade de Vila Bela. Resultando no texto intitulado: Memória, patrimônio e identidade: a comunidade de Vila Bela da Santíssima Trindade (MT) no Arquivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN (1950-1980). que a sua Monografia em Bacharel de História pela  Universidade Federal do Rio de Janeiro em  2018 .

 Sua dissertação  retrata uma Festança em Vila Bela: "repleta de alegria e cores com a comunhão de cantos e santos, a manifestação vila-belense é um efetivo exercício de patrimônio. E conclui  que ela é a luta de um povo pela manutenção de suas heranças e coesão comunitária. A Festança, enquanto um ritual religioso-festivo constitui-se como um momento singular para a comunidade negra. Os moradores saúdam amigos, parentes, vizinhos e turistas nos (re)encontros; renovam laços em meio as danças, rezas e cantorias; valorizam a cultura e os costumes tradicionais; identificam-se com a celebração, exteriorizam sua identidade; incentivam os mais jovens a participarem; reafirmam sua devoção religiosa e protegem e preservam, ao longo das gerações, o patrimônio advindo dos antepassados. Na associação entre a fé e o festar, a manifestação cultural de Vila Bela da Santíssima Trindade persiste". 

 

Devoção religiosa e ancestralidade negra em Vila Bela representadas, na imagem, pela bandeira do Divino Espírito Santo, o mastro do Santo negro, São Benedito, e placa da Dança do Congo na praça da cidade- Fonte da imagem: Letícia Oliveira, 2019. 

 

[1]DEL PRIORE, Mary. Festas e utopias no Brasil Colonial. São Paulo: Brasiliense, 2000, p. 10.

[2] Letícia de Oliveira contou: "Cabe contar que devido a pandemia do Covid-19, a Festança de 2020 foi cancelada. No entanto, os ritos festivos das rezas cantadas nas casas dos festeiros ocorrerão com data prevista para o último trimestre do ano de 2020 e seguindo as recomendações médicas e da Organização Mundial da Saúde (OMS). A oralidade, religiosidade e a irmanação comunitária se manterão. Lamentavelmente, a celebração externa não acontecerá. Mas, no ambiente privado, das famílias negras vila-belenses, ela resiste –simbolicamente (e ancestralmente)".


ACADEMIA DA ORQUESTRA SINFÔNICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO.

A Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso inicia neste ano de 2020 um novo programa de atuação no estado, a Academia da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso. O programa, em favor da universalização e do aprimoramento da educação básica em música orquestral, oferecerá oficinas e mentorias em instrumentos como violino, viola de arco, clarineta, trompete e trombone, enquanto atividade de extensão que no momento se dará em formato online devido à realidade de isolamento social, porém, com o forte propósito de aproximar de forma perene, o conhecimento superior, representado nas universidades, dos níveis escolares fundamentais.

 A promessa é possibilitar aos jovens músicos instrumentistas se prepararem com mais competência para a atuação em práticas orquestrais e suas vertentes em nosso mercado. Vale lembrar que o grupo de técnicos envolvidos no processo conta com uma herança de mais de 40 anos de tradição na produção de espetáculos e concertos, certificando assim, a qualidade da missão da proposta. 

Das batutas dos maestros Konrad Wimmer, Marcelo Bussiki, Ricardo Rocha, Roberto Vitório, Silbene Perassolo, e agora com Fabrício Carvalho – diretor artístico da proposta, a Orquestra cumprirá o seu papel “promovendo a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos na música, próprios do nível superior, por meio de uma comunicação específica da prática extensionista” - um norte e papel de democratização do conhecimento estratégico dentro da Universidade Pública no país, explica o maestro.

 Suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional nos aspirantes a músicos, integrando os conhecimentos que foram adquiridos na trajetória das diversas gerações envolvidas no processo, segundo o violista Edson Assunção, que respira o cotidiano da Orquestra desde 1983, quando, aos nove anos, começou a aprender o instrumento, é uma satisfação. “Como supervisor, você vê o resultado acontecendo, e embora, mesmo com problemas que às vezes surgem, ver depois o sucesso da apresentação de cada um, dá uma satisfação pessoal por ter contribuído para aquilo acontecer”, completa o servidor com sua visão particular sobre sua atividade como um todo, e as propostas da Academia OSUFMT.

O lançamento do trabalho será liderado pelo músico Fernando Pereira. Bacharel, mestre, licenciado em música pela Academia Nacional de Sofia, o integrante da Orquestra mediará um conjunto de ações em duas vertentes, formação comportamental no qual chama de Soft Skills para músicos de orquestra, com participação livre a todos que assim desejarem, e formação técnica, hard skills, com ênfase em performance em violino e/ou viola de arco. A proposta toda, segundo o músico, é suscitar discussões para uma melhor inserção de jovens na dinâmica de um mercado bastante aquecido, mas, que em suas palavras, “é pouco conhecido e explorado”. Em um título provocador “do gênio incompreendido ao profissional de sucesso” a proposta busca “aguçar a reflexão sobre paradigmas e práticas em uma carreira tão nobre dentro da sociedade, a profissão de músico” finaliza o servidor. 

Para aqueles que quiserem participar deste novo momento da Orquestra Sinfônica, capacitando se, atualizando se para o futuro da música de concerto por meio das Ações Extensionistas da Academia, a produtora cultural do grupo, Fernanda Ficagna orienta a todos a acessarem o link de cadastramento para as atividades no portal da UFMT, ou para maiores informações entrar em contato pelo e-mail [email protected], visto que os acessos presenciais estão suspensos temporariamente enquanto medida restritiva de saúde pública. 

Para os amantes e entusiastas da cultura e arte, todas as discussões podem ser acompanhadas de forma gratuita pelo instagram da Orquestra Sinfônica da UFMT @orquestraufmt.

 SERVIÇO

Academia da Orquestra Sinfônica da UFMT

Oficinas em Habilidades Comportamentais e técnicas aplicadas ao musico de orquestra.

1º Módulo 

Condições para participação

Certificação Soft Skills  participação livre a maiores de 14 anos

Certificação Hard Skills: participação com experiencia em violino e/ou viola de arco e idade acima de 14 anos

 

 


Narrativas de Aluguel

 

Agora existe um clube de leitura em que você pode participar, recebendo em casa até cinco livros por vez e quantos conseguir ler, pagando apenas R$ 40,00 por mês. O projeto consiste no aluguel de acervo particular de obras contemporâneas. Conta com um acervo de 220 obras e a cada mês dez novas vão sendo inseridas. São romances, livros de contos, novelas, crônicas e poesia.

IMPORTANTE

Enquanto durar o período de isolamento social o participante receberá os livros em sistema de delivery, com entregas agendadas para casa ou local de trabalho.Os livros são entregues plastificados com etiqueta de identificação. O pagamento deve ser efetuado sempre na primeira semana do mês, via conta bancária, por transferência ou depósito (Banco do Brasil). Os dados bancários serão divulgados individualmente após contato pelo facebook.

Ao fazer a inscrição o cliente recebe um exemplar do romance “Xibio”, inteiramente grátis. Promoção válida até o final do mês de julho. O clube tem por objetivo atingir o número de 30 associados, não mais, uma vez que a iniciativa não tem caráter de acumulação capitalista, e sim de auxiliar na aquisição de mais livros para dilatar o acervo.

O cardápio completo para o mês de julho em "Narrativas de Aluguel".

Para o mês de Julho são mais dez títulos entrando no catálogo: 3 de poesia, 3 de contos e 4 romances.

Romance de Andrea del Fuego - livro premiado. Mais recente livro de Gisele Mirabai. O primeiro romance ambientado na era corona vírus.... A Imperdível narrativa de Carola Saavedra, um dos grandes nomes da literatura contemporânea, sem dúvida alguma!  Tem o belo  romance de Luisa Geisler, os contos de Rafaela Tavares Kawasaki editados pela Patuá.Boa pedida para quem gosta do gênero. Marcelino Freire sabe das coisas, valoriza cada palavra de nossa fala para entranhá-la em nossa língua. Mais um de contos desse pernambucano paulista. Para quem se amarra em contos com narrativas ágeis, Luís Henrique Pellanda... Ganhadora do Jabuti com livro de contos Maria Fernanda Elias Maglio traz seus poemas de impacto indescritível do humanismo contemporâneo. Nicolas Behr transforma em clássicos seus livros de poesia. E para finalizar o mês  Lucinda Persona e sua poesia majestosa..... 

É só procurar por Luiz Renato de Souza Pinto no facebook.

CHAMADA PARA A EXPOSIÇÃO VIRTUAL| CORPUS PRETUS

 

 

Os Corpus Pretus carregam séculos de opressão, de racismo, de violência física e de violência psicológica. Corpus, que somem nas valas e nos becos de forma naturalizada, corpus invisibilizados. Corpus Pretus sujeitos a séculos de trabalhos forçados, trabalhos inumanos, trabalhos ininterruptos, o corpo negro carrega em si a carga da escravidão, um corpo escravizado, violentado.Corpus Pretus estigmatizados. Mas, esses Corpus Pretus também carregam acolhimento, afeto, ancestralidade, comunidade, a luta pela identidade e resistência. Os Corpus Pretus pedem ressignificação, autoestima, dignidade, oportunidade de despertar e fortalecer suas potências.Para abordar essas temáticas através das artes plásticas, visuais, audiovisuais e da escrita, chamamos os (as) artistas/escritores(as) para enviar trabalhos, que abordem essa temática, a fim de compormos a EXPOSIÇÃO VIRTUAL “CORPUS PRETUS” do Centro Cultural Casa das Pretas.

 

PARA PARTICIPAR:
- Podem participar da Exposição Virtual Corpus Pretus, artistas brasileiros natos ou naturalizados, e artistas estrangeiros residentes no Brasil, maiores de 18 anos.
- Escolha UMA das categorias (texto, imagem ou audiovisual), dentro da temática acima exposta.Aceitaremos inscrições de:
- Até 03 obras em imagem JPG de mínimo 1Mb (desenho, pintura, colagem, desenho digital, gravuras, fotografias e afins (as obras tridimensionais como esculturas poderão ser enviadas em imagem);
- Somente 01 (um) vídeo com duração máxima de 59 segundos;
- Somente 01 (um) texto (em prosa, prosa poética ou poesia), que deverá ter no máximo 1000 caracteres (com espaço);
- Salve o(s) arquivo(s) com o título da obra e nome do artista/autor(a);
- No assunto do e-mail coloque a categoria escolhida (texto, imagem ou audiovisual) e o nome do artista/autor (a), exemplo: IMAGEM – ROSANA PAULINO;
- No corpo do e-mail insira:
Título da (s) obra (s):
Artista (s)Autor(a) (s):
Técnicas/Materiais/Categoria do texto:
Dimensões/Duração:
Ano:


PRAZOS:
- Envie para [email protected] até o dia 12 de julho; Após os envios, as obras serão selecionadas pelas colaboradoras da Casa das Pretas.
- O resultado será divulgado dia 20 de julho nas redes sociais da Casa das Pretas;
- A exposição virtual será hospedada no site da Casa das Pretas (em construção) e tem previsão de abertura virtual dia 25 de julho de 2020 (Dia de Tereza de Benguela e Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha).
- Dúvidas/esclarecimentos pelo e-mail: [email protected]

Realização
Casa das Pretas
Centro Cultural


O VIOLÃO E A ANDRAGOGIA

O termo andragogia (segundo a definição cunhada na década de 1970 por Malcolm Knowles), é a metodologia de ensinar adultos a aprender.

Para os adultos as incógnitas são mais frequentes. Com isso nos deparamos com o primeiro ponto do nosso estudo. A necessidade do saber. Os adultos precisam entender o que vão fazer, porque vão fazer e porque tem que ser desse jeito ou daquele, para obter a autoconfiança de que desta maneira será proveitoso o aprendizado.

Embora a resistência na fase adulta impere, teremos profissionais e alunos mais centrados e responsáveis. Chegamos no autoconceito. O aluno precisa sentir-se peça chave do aprendizado individual ou coletivo. Funciona como uma empresa, você aplica a tarefa ou atribuição e se o funcionário (aluno), sentir-se parte fundamental atingira o sucesso da ação. Atividades que o exponha pode ser produtivo, como competições online na espécie de fóruns ou discussões pois promove a busca pelo conhecimento.

É sempre importante avaliar experiências antigas, como por exemplo; se alguma vez já fez aula do instrumento, se por acaso sim, identificar os possíveis bloqueios, o porque sua experiência musical não obteve sucesso, e buscar analisar os pontos de bloqueio para que se busque uma proposta de ensino adequado para tal situação.

A palavra emoção, deriva do termo latino emovere, onde o e- (variante de ex-) significa "fora" e movere significa "movimento". A parte do cérebro que armazena toda essa linha neuronal é o hipocampo responsável pelas recordações. Pode ser um sonho de criança, uma necessidade já da fase adulta ou uma indicação para reforçar os processos musicoterápicos de reabilitação. Na andragogia é importante que os educadores trabalhem com o estimulo da emoção, músicas que o aluno conheça e sinta vontade de tocar, que evoque nele recordações e vontades armazenadas no hipocampo, que o deixe sempre feliz. Não é necessário que saia tudo perfeito inicialmente, que tenha uma cobrança rígida do politicamente correto, porém, mesmo não surtindo o efeito desejado por parte do professor, o importante é perceber que o aluno esteja visualizando seus avanços e seus aprendizados em pequenos detalhes.

Estudar música com objetivos, com docência de qualidade técnica e conhecimento pedagógico especifico e neurociência aplicada a música, a você que busca uma terapia, uma atividade prazerosa ou algo mais técnico, um direcionamento sobre a atividade musical trazendo assim benefícios psicológicos, onde tal benefício atuará juntamente aos neurônios e hipocampo, aumentando as fibras do corpo caloso, fazendo com que tenha constantes avanços neurológicos prevenindo doenças degenerativas da mente.

 

Ricardo Alberto Basso

Professor de Violão

Escola de Música Campo Verde

 


Espetáculos nacionais da MITsp online

Tem dica boa para quem ama teatro! Quatro espetáculos nacionais da MITsp 2020 (Mostra Internacional de Teatro de SP) serão exibidos online e na íntegra. São peças de vários lugares do Brasil que tiveram suas sessões canceladas por conta do fechamento dos equipamentos culturais devido à pandemia de coronavírus.

Para completar a boa notícia, os artistas e a equipe envolvidas nessas montagens participam de lives para falar sobre seus processos criativos. As conversas são mediadas pelos curadores da MITbr – Plataforma Brasil Alejandro Ahmed, Grace Passô e Francis Wilker.

As atividades acontecem em diferentes momentos, por isso, ATENÇÃO!

As peças ficam disponíveis no YouTube da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo (clique aqui para acessarentre os dias 22 e 28 de maio. Já as lives ocorrem entre 21 e 31 de maio nas redes sociais dos teatros municipais (confira abaixo).

Conheça os espetáculos em cartaz na MITsp online

Em “Cancioneiro Terminal”, o grupo MEXA (SP) explora um acervo de fotos e vídeos produzidos sobre si. Os atores e atrizes se relacionam com as imagens e se perguntam com quais delas gostariam de contar a história do seu presente. A cada performance, o coletivo reencena e edita em tempo real um novo filme, por meio de exercícios de tradução e dublagem.
Duração: 80 minutos
Classificação: 12 anos

 
 

No espetáculo “Entrelinhas”, o Coletivo Ponto Art (BA) evidencia como a voz da mulher negra é historicamente silenciada dentro de uma sociedade opressora, machista e de mentalidade escravocrata. A coreógrafa e intérprete Jaqueline Elesbão costura uma narrativa essencialmente visual, quase sem palavras.
Duração: 35 minutos
Classificação: 18 anos

O solo “Recolon”, do Coletivo Mona (AM), é inspirado nos impactos ambientais e humanos causados pelas construções de usinas hidrelétricas na bacia do Rio Madeira, em Rondônia. O artista Leonardo Scantbelruy manipula elementos simbólicos e regionais para investigar a vida na Amazônia, marcada por ciclos de colonização.
Duração: 50 minutos
Classificação: 12 anos

Já em “tReta”, o grupo Original Bomber Crew (PI) expõe as várias “tretas” enfrentadas diariamente por jovens periféricos, refugiados e minorias em geral, como as relacionadas à política, ao patriarcado, ao colonialismo e às batalhas de breaking que geram embates pela sobrevivência.
Duração: 60 minutos
Classificação: 16 amos

 

Agenda de lives com os coletivos

Dois espetáculos que não serão exibidos online farão lives sobre as pesquisas que nortearam a construção de seus trabalhos. São eles “ZOO”, do grupo Macaquinhos,  e “violento.”, de Preto Amparo, Alexandre de Sena, Grazi Medrado e Pablo Bernardo.

Lives “Entrelinhas”: 21 e 22 de maio, às 20h
Convidada: Grace Passô
Onde assistir: redes sociais do Teatro Cacilda Becker / @teatrocacildabecker

Lives “tReta”: 22 de maio, às 21h, e 24 de maio, às 19h
Convidado: Alejandro Ahmed
Onde assistir: redes sociais do Teatro Arthur de Azevedo / @teatroarthurazevedosp

Lives “ZOO”: 23 de maio, às 21h, e 24 de maio, às 18h
Convidado: Alejandro Ahmed
Onde assistir: redes sociais do Teatro João Caetano / @teatrojoaocaetanosp

Lives “Cancioneiro Terminal”: 26 e 28 de maio, às 19h
Convidado: Francis Wilker
Onde assistir: redes sociais da Biblioteca Mário de Andrade / @bibliotecamariodeandrade

Live “violento.”: 29 de maio, às 21h
Convidada: Grace Passô
Onde assistir: redes sociais do Teatro Alfredo Mesquita / @teatroalfredomesquita

Lives “Recolon”: 30 de maio, às 21h, e 31 de maio, às 19h
Convidado: Francis Wilker
Onde assistir: redes sociais do Teatro Paulo Eiró / @teatropauloeirosp

fonte : https://catracalivre.com.br/agenda/mitsp-2020-mostra-internacional-de-teatro-de-sao-paulo-online-quarentena/

 


Festival Varilux De Cinema Frances em Casa

UMA INICIATIVA SOLIDÁRIA, PATROCINADA PELA EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL EESSILOR/VARILUX, REALIZADA PELA BONFILM PARA AMENIZAR OS DIAS DE QUARENTENA.

Assistam a seleção de 50 grandes filmes das últimas edições do Festival Varilux de Cinema Francês em casa de graça até o dia 27 de agosto!

Comédias, dramas, filmes históricos, fantásticos e infantis, a seleção é diversa e recente.

Assista a seleção de 50 grandes filmes das últimas edições do Festival Varilux de Cinema Francês em casa de graça até o dia 27 de agosto! 

Basta acessar nosso site e escolher o filme que deseja assistir. Depois, no site do Looke, faça seu cadastro e pronto! www.festivalvariluxemcasa.com.br

 

O #FestivalVarilux já é o maior de cinema francês do mundo título conquistado em 2017 com mais de 180 mil pessoas nas salas de cinema de todo o Brasil.

O intuito é levar a cultura cinematográfica francesa, uma das mais conhecidas e apreciadas no mundo, para a maior quantidade possível de pessoas. E não apenas com longa metragens de sucesso da atualidade, mas com curtas e diversos outros conteúdos audiovisuais.

Entre Sessões Educativas, em parceria com escolas; Sessões com Audiodescrição, em parceria com as distribuidoras dos filmes; Mostras de Curta-metragens; Mostras de Filmes em Realidade Virtual; Sessões com artistas, com a delegação francesa; Laboratórios de Roteiros com profissionais experientes e Debates, com parceiros renomados para os temas propostos, objetivamos diversificar a experiência em salas de cinema e ainda levar o cinema para fora delas.

O festival conta sempre com um filme clássico, remasterizado, vinculado com o hoje, provocando debates e discussões culturais e temporais. Também, sempre um documentário, que mostra, de alguma forma, questões a serem refletidas. Para aumentar a diversidade dos filmes que importamos e reproduzimos em todo o país, sempre buscamos uma animação para integrar nossa lista de filmes.

Produzido pela Bonfilm, o evento tem patrocínio principal da Varilux/Essilor, Ministério da Cultura por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Sugestões? Mande para [email protected] 😉


Antologia –ARTE em Poesias

Antologia –ARTE em Poesias trata-se de uma coletânea composta por poemas e poesias de vários segmentos produzidos em parceria com diversos escritores, poetas e poetisas nacionais.

São eles:

Emery Sheel, SP.

Flaviane Borges, Portugal.

Hugo Prado, SP.

Lindalva Alves, Cuiabá MT.

Luciana Tidoco Bianchine Improta, MG.

Marcelo Claudio Antunes de Souza, Cuiabá, MT.

Maria Sônia Laukaitis, SP.

Wilson de Oliveira, SP

O termo Antologia  provém do grego ‘anthos’, que significa flor, e ‘lego’, o qual traz a conotação de escolher; assim resulta em ‘florilégio’, ou seja, coleção de flores. Que o leitor possa sentir a emoção de colher as mais belas flores de matizes diversas e que o aroma delicado inebrie seus sentimentos.  

Valorize a publicação independente, valorize o trabalho autoral.

Compre antologias, ajude a fortalecer a literatura brasileira e seus autores.

Lindalva Matos Alves Cabral Nasceu em Jaciara MT, no dia 13 de dezembro de 1975. É pedagoga, atua como intérprete de Libras na rede de ensino, Psicóloga Clinica e atua como psicóloga no Município de Várzea Grande. É graduando do último semestre do curso de Letras Libras na Universidade Federal de Mato Grosso.

Tem poesias publicadas na revista eletrônica Diálogos UFMT, Falange Miúda UFMT e na revista Ruídos Manifesto UFMT.

Participa de saraus e exposições com as Artistas Plásticas e Visuais: Aparecida Silva, Gilda Portella, Jamaika Farias, Karla Mesquita, Laura Borges, Maria Auxiliadora, Meg Marinho, Paty Wolff e os fotógrafos Célia Soares, Eder Marques e João Almeida.

 Lindalva Alves, escreve sobre o amor, fala da dor e da saudade, trilha por caminhos que a poesia lhe permite sonhar, faz duras criticas em seu escrito e solta um grito que nunca irá se calar.

 

 

 

 


MAIO - COLETIVO DI JEJE por Gilda Portella

Galera temos uma notícia maravilhosa!!!

Estamos apresentando a vocês o MAIO - COLETIVO DI JEJE.

O Coletivo Di Jeje é um grupo criado para troca de informações sobre a mulher negra e a cultura africana e afrobrasileira. Espaço de divulgação de cursos, networking, oficinas e atividades ligadas à mulher negra, cultura africana e afrobrasileira. 

Um mês que será especial, nesse mês de Maio o Coletivo Di Jeje estará disponibilizando todos os cursos do site por R$ 51,00.

A intenção é que todas/todos/todes tenham acesso aos cursos, missão dele é: ”Produzir conhecimento que emancipa, compartilhar conhecimento que liberta!” 

Todos os cursos do site estão com inscrições abertas, para se inscrever e conhecer os cursos acesse o link https://coletivodijeje.com.br/cursos.php e se inscreva. 

Confira os cursos: 

CASA PRETA - Curso: O pensamento de Abdias do Nascimento

Quando: dia 11/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: O Pensamento de Lélia Gonzalez

Quando: dia 12/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: Psicanálise e Racismo

Quando: dia 20/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: O pensamento de Beatriz Nascimento

Quando: dia 27/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: O pensamento de Frantz Fanon

Quando: dia 28/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: O que é lugar de fala?

Quando: 18/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: O pensamento de Kabengele Munanga

Quando: dia 14/05 das 19hs às 21:30hs 

CASA PRETA - Curso: O que é racismo?

Quando: dia 13/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: O que é colorismo?

Quando: dia 26/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: O que é feminismo negro?

Quando: dia 25/05 das 14hs às 17hs 

CASA PRETA - Curso: O pensamento de Angela Davis Parte 1

Quando: dia 21/05 das 19hs às 21hs 

CASA PRETA - Curso: O Pensamento de Sueli Carneiro

Quando: dia 19/05 das 14hs às 17hs 

Curso Nossas Vozes: Pensando em masculinidades com Bell Hooks

Quando: de 15 de maio a 15 de junho

Curso Nossas Vozes: Corpo Travessia: Ponto de arte

Quando: 15 de maio a 15 de junho 

Curso Nossas Vozes: Curso - Sistema prisional e encarceramento feminino

Quando: 15 de maio a 15 de junho 

Curso Nossas Vozes: Pensamento Pan Africanista

Quando: 13 e 14 de maio

 

Casa Preta - Sede Nacional Coletivo Di Jeje

Rua Lauro Linhares, 2055 Sala 809 Torre Max - Ed. Max Flora/ Florianópolis-SC

Telefone: 48 3365-4746

Visite-nos!

http://dijeje.blogspot.com.br/

https://www.facebook.com/dijejes

www.instagram.com/c_dijeje/

www.twitter.com/c_dijeje

http://coletivodijeje.com.br/

 

 

Coletivo Di Jejê


Fundado em Fevereiro de 2014, o Coletivo Di Jejê, é um espaço de formação e produção de conhecimento sobre a mulher negra, para a mulher negra, feito por mulheres negras. É um lugar de troca, de fala, de transformação, de poder, de conhecimento onde as mulheres negras podem ser o que são e como são, sem estereótipos, padrões ou imposições.

Atualmente, ele funciona com a oferta de cursos de temas ligados a mulher negra do Brasil (aspectos históricos, políticos, econômicos, filosóficos e identitários). Os cursos presenciais acontecem na Casa Comunitária Preta em Florianópolis, e em espaços parceiros em todo o Brasil e no Mundo; os cursos presenciais têm duração de 4 horas onde é oferecido um café da tarde. Os encontros presenciais, são mediados a partir da nossa experiência educativa dos povos de terreiro, tendo o diálogo e a valorização das experiências de cada participante como ponto central dos encontros. Os cursos à distância, são planejados de maneira que a experiência dos participantes possa ser significativa e significada pelo conjunto de participantes dos encontros virtuais. Os cursos à distância têm duração de 30 dias ou podem ser adquiridos através de nossas plataformas de e-learning; e os participantes podem acessar o material dentro de sua rotina, e contam com o apoio de uma tutora. Nas duas modalidades de curso as participantes recebem certificado e apostila virtual contendo textos para aprofundamento teórico. Atualmente temos 4 plataformas de e-learning (ensino a distância), como uma série de conteúdos: Nkanda (racismo e sexismo), Kukala (para professores sobre a lei 10.639), Intié (sobre educação indígena) e Ifá (para empresas sobre racismo e sexismo no mercado de trabalho). As plataformas podem ser adquiridas através de assinatura mensal ou anual, ou pacotes de formação on line e presencial, como no caso da Kukala (para professores e escolas) e Ifá (para empresas e instituições). Desde 2014, já atendemos mais de 6 mil mulheres em nossas atividades virtuais e presenciais. Faça parte do Coletivo Di Jeje você também!


OS BENEFÍCIOS DA MÚSICA PARA AS CRIANÇAS EM TEMPO DE ISOLAMENTO

Nestes tempos de isolamento social, as crianças ficam em um estado de ansiedade e sem conteúdo mental para passar pelo tempo ocioso, sem rotina. Ela organiza nossa maneira de ver as questões sociais, comportamentais e organizacionais. Neste mundo estamos imergidos numa catástrofe psíquica chamada depressão, que assola cada vez mais os lares do brasil e do mundo. De acordo com a OMS (organização mundial de saúde), a depressão cresceu 18 % nos últimos 10 anos. A doença afeta 4,4% da população mundial e 5,8% de brasileiros. Na corrida contra este estado emocional conturbado, precisamos entender os cuidados necessários para não nos depararmos com essa situação. Segundo o ministério da saúde, algumas medidas são importantíssimas para evitar o quadro de depressão em nossas famílias: Ter uma dieta equilibrada, atividade física regular, combater o estresse concedendo tempo na agenda para atividades prazerosas, evitar o consumo de álcool, não usar drogas ilícitas, diminuir as doses diárias de cafeína, ter uma rotina de sono regular, não interromper tratamento sem orientação médica.

A intenção musicoterápica em advento de certas patologias seja de ordem psíquica ou não, tem sempre o objetivo de causar nas pessoas uma sensação de alegria e bem estar, fazendo com que nossa vida seja plena e tenha prazer ao viver nesse plano orquestrado por Deus. A música é uma atividade que desde os primórdios teve o papel no ser humano de trazer alegria, libertar ou até mesmo curar. Seus elementos como melodia, harmonia e ritmo possibilita ao terapeuta que atinjamos um nível de catarse ímpar, favorecendo nosso bem estar. Numa área chamada de hipocampo a música faz seu papel importantíssimo pois é a área do nosso cérebro responsável pelas emoções e que tem uma profunda ligação com memorias antigas. Com isso o terapeuta utiliza essas informações em prol do seu paciente que será muito beneficiado por isso.

Para contribuir para a resolução desse tédio é muito interessante a afetividade familiar e sua completa união nestes tempos. Pois devemos exercitar o amor mútuo e o entendimento de espaço interno X espaço externo. Muito produtivo é a criação de rotinas onde aproximem os pais dos filhos que estudam música. Para isso é super interessante que as redes sociais fiquem de lado, é um tempo de revermos certos conceitos que temos de relaxamento caseiro, com atividades que promovam a auto-estima, amor recíproco com os nossos familiares, atividades de desenvolvimento neuronal. As atividades que a escola passa é uma boa alternativa para trabalhar situações neurológicas pois vamos exercitar funções cognitivas e executivas.

E muito importante lembrarmos que se não cuidarmos da ansiedade e do estresse, em índices elevados poderá progredir a uma depressão.

RICARDO ALBERTO BASSO – Professor de Violão

RICARDO ALBERTO BASSO – Professor de Violão

Escola de Música de Campo Verde


USP disponibiliza conteúdo cultural gratuito online

A Universidade de São Paulo (USP) está disponibilizando de forma online diversos conteúdos culturais em um site unificado, chamado USP Cultura em Casa. O visitante poderá escolher entre quatro diferentes editorias: arte, patrimônio cultural, ciências e comunidade.

Na plataforma, estão mais de 30 institutos da universidade, entre unidades de ensino, órgãos culturais, museus e laboratórios. Um dos destaques é a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, cujo acervo virtual e o projeto interativo Atlas dos Viajantes do Brasil podem ser conhecidos por meio da plataforma.

Também estão disponíveis conteúdos musicais, oferecidos pela Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) e pelo Coral da USP (Coralusp), que incluem apresentações e concertos, assim como videoaulas, exercícios de técnica vocal, textos e vídeos sobre música.

O Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG/USP) preparou uma lista de atividades especiais para quem quer aprender mais sobre as Ciências da Terra e do Universo, sem precisar sair de casa, que pode ser acessada pela plataforma. Já o Museu de Zoologia, entre outros conteúdos, está sendo disponibilizando, para as crianças, materiais para colorir, que podem ser baixados e impressos.


HOJE É DIA DE CHICO CÉSAR NO SESCSP

Hoje é dia de Chico César no SescAoVivo!
De casa, ele nos traz suas reflexões sobre o Brasil contemporâneo colocadas em versos que apostam na revolução do amor para transformar. Não faltará MPB, reggae e frevo!
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Fique em casa com o Chico César:
instagram.com/sescaovivo | Sesc São Paulo | youtube.com/sescsp

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Com as unidades temporariamente fechadas, a programação do @SescSP se intensifica na web. É um show diferente por dia, TODOS OS DIAS! Acompanhe ao vivo direto da casa de cada artista!

O #SescAoVivo continua com você! Acompanhe a programação de shows da semana! Todo dia, lives a partir das 19h, direto da casa de cada artista:


⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
20/4 Chico César
21/4 Pato Fu (Fernanda Takai e John)
22/4 Roberta Sá
23/4 Céu
24/4 Paulo Miklos
25/4 João Bosco
26/4 Zélia Duncan
Assista no novo canal @SescAoVivo no Instagram e nas páginas do @SescSP no Facebook e Youtube!
Neste momento em que as unidades do Sesc permanecem fechadas para contribuir com o enfrentamento ao novo coronavírus, o #SescAoVivo dá continuidade à missão institucional do Sesc SP na internet.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Fique #EmCasaComSesc 🏡


LIVE DIA 22 DE ABRIL - PEDRA 90 E CASARÃO DAS ARTES

BABE PAPO COM OS AMIGOS: PEDRA 90 E O CASARÃO DAS ARTES  

Um bate papo falando um pouco sobre a realidade do bairro Pedra 90 com as ações do Casarão das Artes na comunidade.

Saiba mais:

Nesse bate papo vamos conversar sobre as ações que acontecem no bairro Pedra 90 na periferia de Cuiabá pelo Instituto Cultural Casarão das Artes - Pedra 90, e os impedimentos causados pela Pandemia do Covid19.

Sobre o(s) Inspirador(es)

inspirer

Vinícius José Hoffmann Bertuol

Vini Hoffmann (@vinihoffmannn), ator, produtor Cultural e Palhaço, um dos idealizadores do Instituto Cultural Casarão das Artes - Pedra 90, também integrante do Grupo Tibanaré de Teatro, um dos seus principais trabalhos é a série nacional Pantanal e Outros Bichos, série vinculada a Tv Brasil Animada e a Tv Cultura

 
Tá liberado para inscrição de participantes da nossa LIVE
DATA: 22 DE ABRIL
HORÁRIO: 21 H DE BRASILIA   
 

PINK FLOYD TRANSMITE SHOWS A PARTIR DE 17 DE ABRIL - por Gilda Portella

PINK FLOYD anuncia que vai transmitir shows ao vivo e filmagens raras no canal da Banda no YouTube, semanalmente a partir de 17 de Abril.  

Banda abre a série com o grandioso show Pulse; os shows serão exibidos semanalmente, as sextas-feira.

Incrível pra quem gosta e curte rock, pra quem não conhece é uma bela pedida ao iniciar-se nessa trilha sonora

Segue informações de PULSE


Filmado ao vivo em 20 de outubro de 1994 em Earls Court, Londres, Reino Unido. Restaurado e reeditado em 2019 a partir dos mestres de fita originais. A turnê "Pulse" deu origem ao álbum duplo de mesmo nome, ao vivo, do Pink Floyd, lançado em 1995. O disco inclui uma versão completa de "The Dark Side of the Moon", além de outros clássicos da banda , como "Time", "Money", "Wish you Were here" e "Comfortably numb".


0:00
Speak To Me

1:17 Breathe (In The Air)

 4:00 On The Run

 7:43 Time

14:23 The Great Gig In The Sky

19:34 Money

28:30 Us And Them

35:31 Any Colour You Like

38:48 Brain Damage

42:34 Eclipse

44:27 Sorrow

55:37 Keep Talking

1:03:13 High Hopes

1:11:20 Wish You Were Here

1:17:30 Comfortably Numb

Já disponível: A caixa de 'The Later Years' do Pink Floyd https://pinkfloyd.lnk.to/TheLaterYears

OS ÚLTIMOS ANOS Incluído em 'The Later Years', um conjunto de 18 discos (5xCDs, 6xBlu-Rays, 5xDVDs, 2x7 ”) cobrindo o material criado por David Gilmour, Nick Mason e Richard Wright a partir de 1987, com material de áudio e audiovisual não lançado, incluindo os concertos de 1989 em Veneza e 1990 em Knebworth, além de áudio e vídeo atualizados, restaurados e remisturados, singles de 2 x 7 ”, livro de capa dura de 60 páginas, livro de capa dura de 60 páginas, livro de créditos de capa dura de 40 páginas, livro de letras, livro de letras, 3 x programas turísticos de reprodução, envelope de cartão contendo itens de coleção, além de Blu-rays e DVDs em carteiras individuais.

Também disponível: pacote "Destaques" de 12 faixas (2-LP ou 1-CD) https://pinkfloyd.lnk.to/TheLaterYears

 

MEDIAS SOCIAIS PINK FLOYD

Facebook http://smarturl.it/PF_FB

Twitter http://smarturl.it/PF_Twitter

Instagram http://smarturl.it/PF_Instagram

Spotify http://smarturl.it/PF_Spotify

YouTube http://smarturl.it/PF_YT

Apple http://smarturl.it/PF_Apple

#PinkFloydFridays #StayHome #WithMe #PinkFloyd # Remastered #TheLaterYears #LaterYears #PULSE Categoria Música

 

 

 

     


Projeto Colcha de Retalhos

O Projeto " Colha de Retalhos" está participando do Edital de Inclusão Socioprodutiva da Fundação Banco do Brasil-2020, visando continuar e ampliar  às ações previstas no projeto. No edital está previsto várias etapas, e uma delas é a elaboração de um vídeo que precisa ter 400 visualizações no YouTube, que vale 3 pontos que será agregado durante a avaliação do Projeto. 
Vamos compatilhar pessoal! Contamos com vocês!
O Projeto “Colcha de Retalhos", executado pela Associação Varzeagrandense Madre Tereza de Calcutá, (AVE-MATER) visa promover a profissionalização e a geração de renda para jovens e mulheres que se encontram em situação de vulnerabilidade socioeconômica, com ações de tecnologias sociais que valorizem o saber e a cultura local, fortalecendo as ações já implementadas (produção de colchas de retalhos) e ampliando a confecção de produtos artesanais colaborativos e sustentáveis (tapetes, jogo americano, almofadas, lingerie e outros)  
As oficinas de confecção de artigos artesanais com o reaproveitamento de retalhos de tecidos serão realizadas semanalmente com o público atendido pelo projeto e terão como base quatro dimensões da tecnologia social, sendo elas: Protagonismo social, Valorização da cultura local, Meio Ambiente e Desenvolvimento Comunitário. 
Diante do exposto, pode-se concluir que o projeto está de acordo com o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) de número 12, que tem como tema “Consumo de Produtos Sustentáveis”, e realiza ações que impactam as pessoas, a comunidade e o planeta, com ferramentas economicamente viáveis, socialmente adequadas e ecologicamente corretas, além de oferecer acompanhamento do desenvolvimento pessoal, profissional e social do público atendido.
Há 15 anos a AVE-MATER desenvolve programas e projetos socioeducativos, que contribuem para a defesa dos direitos da criança e do adolescente e na promoção e autonomia de suas famílias, com ações articuladas e integradas com a escola, a comunidade e a rede intersetorial do município, em sintonia com as políticas públicas e construindo diálogo permanente com o território. Localizada na Vila São João, Várzea Grande-MT, atendendo diariamente 150 crianças e adolescentes que se encontram em situação de vulnerabilidade e risco social, no contra turno escolar, na faixa etária de 6 a 14 anos, realizando Oficinas de Esporte, Oficinas de atividades artísticas e culturais Oficinas temáticas e lúdicas, Oficinas de Informática, Oficina de Cortes e Costura, Programa de alimentação saudável e Programa de Acolhimento e Orientações as Famílias e a Comunidade.
 
 

Lançamento do livro: “CRÔNICAS DO IMPERADOR” de Marcelo Pereira

Lançamento e Sessão de Autógrafos

Do livro: “CRÔNICAS DO IMPERADOR: Relíquias de dragão

Autor:Marcelo Pereira, escritor, biólogo e professor.

Dia: 21/Março/2020 às 19 h-

Local: Shopping 3 Américas,piso 01, frente à Piticas, Cuiabá/MT. 

O livro“CRÔNICAS DO IMPERADOR: Relíquias de dragão”,lançamento inédito da Umanos Editora, no gênero fantasia de literatura nacional, apresenta uma história intrigante que supera grandes enredos já publicados. Trata-se de uma ficção que instiga e surpreende o leitor coma narrativa de uma saga entre reinos primitivos e mundos diferentes na batalha por sobrevivência, que envolve poder e magia contidos em relíquias sagradas de dragões.Este é o primeiro volume de uma série, cujo enredo apresenta clãs sombrios obstinados, outros destemidos decididos a encontrarem relíquias de poder a qualquer custo, quebram protocolos, se reinventam, enquanto há também os que atuam com intuito de formarem uma sociedade intelectualizada.

Essa é a publicação de estreia do autor, obra que foi escrita toda a punho. O público vai percorrer uma jornada de heroísmo, enigmas, transformações, disputas, decepções, perdas, onde o preconceito, a ganância, a sedução e o poder imperam sobre mundos obscuros. 

Em mais de quatrocentas páginas de aventura e magia, o leitor é convidado a conhecer uma floresta milenar do mundo medieval, habitada por vilões e guerreiros vigorosos, onde a magia faz parte dos reinos. Lugar onde há seres destemidos que surgem de várias raças, dentre animais e feras híbridas. Eles possuem forças descomunais, usam a energia dos próprios corpos para transmutá-los, assim como o ar da órbita em torno deles, o que os tornam hábeis e ágeis para o combate. Nessa época remota, também vive uma parte oprimida, minoritária e alvo dos clãs sombrios e robustos, formada por seres humanos. Devido a fragilidade que eles possuem e incapacidade de absorver a energia do ambiente que vivem, são utilizados como alimento e para o trabalho escravo dos seres poderosos. 

Mas, é do recôndito das feras sombrias que surge a benevolência de outras espécies, em favor dos seres frágeis, devido a bondade percebida neles. É aí que o leitor vai conhecer a trajetória de guerreiros e vilões, cercada por muitos desafios e bravas lutas, além de descobrir como uma relíquia sagrada milenar pode ser a chave para revelações emocionantes. 

 O roteiro dissertado no livro é intrigante, repleto de aventura, muita ação e batalhas internas que podem fazer o leitor duvidar até das próprias escolhas quando deparar com personagens cativantes, tornando-o fascinado pelas histórias apresentadas por eles, um emaranhado de fantasias que não termina com desfecho previsível. O convite aos leitores é que se preparem para adentrar a essa egrégora de reinos que surpreenderá você em cada quinhão da saga, pois do Clã mais simples e menos preparado, poderá surgir o pior de todos os inimigos. Isso é o que oferece o primeiro volume da obra que apresenta apenas o começo de uma narrativa impactante, até então inimaginável para os leitores.

  

Título do livro: CRÔNICAS DO IMPERADOR: Relíquias de Dragão.

Autor: Marcelo Pereira.

Páginas: 420 / Edição: 1ª - / Formato: 15,5x22,5cm / Acabamento: Brochura.

Categoria: Fantasia, Ficção, Literatura Nacional.

Lançamento: Umanos Editora, Cuiabá: 2020. (www.grupoumanos.com.br)

Valor: R$ 65,00

 


LANÇAMENTO DO LIVRO "VALE POÉTICO" DE REGINALDO TEODORO

Lançamento e Sessão de Autógrafos

Do livro: “VALE POÉTICO

Autoria do poeta REGINALDO TEODORO, graduado em Pedagogia e pós-graduado em Psicopedagogia.

Dia: 19/março/2019 às 19 h

Local: Câmara Municipal de Vale de São Domingos, Vale de São Domingos/MT.

O livro “Vale Poético”, lançamento da Umanos Editora, foi escrito por Reginaldo Teodoro, homem simples, carismático, filho de agricultores,poeta de Vale de São Domingos. A obra propicia momentos que dão significados singelos a sentimentos, sonhos e fatos do cotidiano. É um compilado de poemas genuínos que apresenta um misto entre a contemporaneidade e a temporalidade do rural com a sofisticação do modernismo. O autor brinda os leitores com um conjunto de elementos poéticos que traduz o requinte de uma escrita dedilhada em vivências. Quem ler poderá conferir em cada poema, as belezas que coexistem no tabuleiro da vida.

A publicação deste livro representa a realização de um sonho do poeta Reginaldo Teodoro, que gosta de escrever poesias e se define como apaixonado pela vida. Há algum tempo foi impresso um livreto com alguns poemas dele. E um exemplar desse foi entregue ao Editor Leandro Doorneles, que após a leitura, juntamente com a equipe da Umanos Editora, resolveram realizar o sonho de transformá-lo em um livro com formatação ampliada, trazendo para os leitores, poemas inéditos. Assim surgiu a obra “VALE POÉTICO”.

 Serviço:

 Título do livro: Vale poético.

Autor: Reginaldo Teodoro

Páginas: 70 / Edição: 1ª - / Formato 14x 21 cm/ Acabamento: Brochura.

Categoria: Poesia, Literatura Nacional.

Lançamento: Umanos Editora, Cuiabá: 2020. (www.grupoumanos.com.br)

Valor: R$ 25,00

 

 


CAFÉ FILOSÓFICO

O MUSEU DE ARTE SACRA DE Mato Grosso, PROMOVE CAFÉ FILOSÓFICO.

O Museu de Arte Sacra de Mato Grosso realiza no dia 20/03/2020 (sexta-feira), às 18h30, o Café Filosófico, com a participação da Museóloga Aluane de Sá, que tratará sobre o Plano Museológico, instrumento de planejamento estratégico para museus, conforme o Decreto Lei nº8.124, de 17 de outubro de 2013, Capítulo II. Em consonância com diretrizes das Políticas Públicas, o Museu de Arte Sacra de Mato Grosso está em fase de finalização de seu Plano Museológico e, para tanto, o convite para o próximo Café Filosófico será um diálogo sobre os passos necessários para seu desenvolvimento, bem como apresentar as ações e resultados alcançados até o momento.

O Café Filosófico é promovido pelo MASMT, em parceria com outras instituições e pesquisadores, e foi cuidadosamente pensado para propiciar um ambiente interativo, confortável e instigante para a participação da sociedade, trazendo temas que dizem respeito as pessoas e seu entorno, propondo um debate democrático e potente como forma de desenvolvimento do conhecimento.

Serviço: Café Filosófico - MASMT
Data: 20/03/2020
Horário: 18h30min
Local: Museu de Arte Sacra de Mato Grosso
Inscrições Gratuitas: através do telefone (65) 3056- 1373 de quarta a domingo das 9h às 17h ou On Line pelo link: https://www.sympla.com.br/cafe-filosofico__815860


“MUSEUS EM DIÁLOGOS E CONEXÕES: AÇÕES EDUCATIVAS” 

A Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso, por meio do Sistema Estadual de Museus em parceria com o Museu de Arte Sacra de Mato Grosso convida você à participar do Encontro “MUSEUS EM DIÁLOGOS E CONEXÕES: AÇÕES EDUCATIVAS”. O encontro é uma oportunidade de formação para os educadores em museus e um momento de trocas de saberes, diagnósticos sobre a situação desses aparelhos, bem como um momento para planejar futuras ações.

Encontro “MUSEUS EM DIÁLOGOS E CONEXÕES: AÇÕES EDUCATIVAS” 

Data: 24 à 27/03/2020

 Horário: 18h30min 

Local: Museu de Arte Sacra de Mato Grosso 

Inscrições Gratuitas: através do telefone (65) 3056- 1373 de quarta a domingo das 9h às 17h ou On Line pelo link: https://www.sympla.com.br/museus-em-dialogos-e-conexoes__815955

Programação 

24.03 Manhã

8h às 11h - Composição de mesa representantes (IPHAN, SECEL, SMCEL, UFMT, UNEMAT e MASMT); Tarde

13h às 17h - Oficina de formação do Sistema Estadual de Museu do Estado de Mato Grosso – Tema: Ação Educativa em museu com a museóloga do Museu de Arte Sacra de Mato Grosso - Aluane de Sá;

 25.03 Manhã

8h às 12h - Oficina de formação do Sistema Estadual de Museu do Estado de Mato Grosso – Tema: Ação Educativa em Museu; 

Tarde

14h às 18h - Oficina de Formação do Sistema Estadual de Museu do Estado de Mato Grosso – Tema: Ação Educativa em museus;

 26.03 Manhã

8h às 12h - Diálogo com o Secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso – Allan Kardec e Representante do Sistema Estadual de Museus; 

Tarde

14h às 18h - Oficina de formação do Sistema Estadual de Museu do Estado de Mato Grosso – Tema: Ação Educativa em museu;

 27.03 Manhã

9h às 12h REMP –MT, Rede de Educadores de Museus e Patrimônio com a Prof.ª Dra. em história social Jocenaide Maria Rossetto Silva;

 Tarde

14h às 17h Fórum REMP – Rede de Educadores de Museus e Patrimônio

 

Serviço: Encontro “MUSEUS EM DIÁLOGOS E CONEXÕES: AÇÕES EDUCATIVAS” 

Data: 24 à 27/03/2020

 Horário: 18h30min 

Local: Museu de Arte Sacra de Mato Grosso 

Inscrições Gratuitas: através do telefone (65) 3056- 1373 de quarta a domingo das 9h às 17h ou On Line pelo link: https://www.sympla.com.br/museus-em-dialogos-e-conexoes__815955


Editora abre inscrições gratuitas para Oficina de Escrita Criativa em Cuiabá

A Umanos Editora está com inscrições abertas para a Oficina de Escrita Criativa que acontece no dia 29 de março dentro da programação do 3º Contos do Mato - Arena Literária 300 anos, que acontece em Cuiabá. A Umanos existe há 8 anos e dissemina o conhecimento através dos eventos literários, atividades ligadas a leitura, produção literária e a disseminação do conhecimento.

A oficina acontece das  8h as 12h , no Salão Nobre do Palácio da Instrução e conta com 25 Vagas. De acordo com os oficineiros, Lucas Budoia e Nelilton Goes, a oficina tem como finalidade o desbloqueio criativo e apresentar as etapas da escrita e técnicas para desenvolver a criatividade. Essa é uma atividade que a  Umanos Editora já promove esta oficina há 04 anos, com os mais diversificados públicos, explica Neliton Gois, diretor de marketing da Umanos Editora. A carga horária de 04 horas é divida em dois módulos de 02 horas cada. O primeiro será ministrado por Neliton Gois, com a abordagem Escrita criativa e construção de cenários. O segundo módulo será ministrado por Lucas Budoia, diretor comercial/ financeiro da Umanos Editora, com a abordagem “Construção de personagens”. As inscrições podem ser feitas através do e-mail [email protected]com, onde os interessados devem enviar nome completo e um telefone para contato.

A Umanos também participa do Contos do Mato com a venda de livros, durante a sessão de autógrafos - Mercado do Livro, programada para o dia 28 de março, às 18h no Palácio da Instrução.

O Contos do Mato acontece de 24 à 29 de março no Palácio da Instrução em Cuiabá, e conta com uma extensa programação para todos os públicos. O evento foi contemplado no edital de patrocínio à cultura da Prefeitura de Cuiabá, através da Secretaria Municipal de Cultura, esporte e turismo e do Conselho Municipal de Cultura, via edital de apoio à Projetos Culturais. Durante o dia, das 8h até as 20h, acontecem as Contações de histórias, com narradores de todo o Brasil e do interior do estado de Mato Grosso. A noite, a programação dá espaço a mesas com escritores de Mato Grosso. No espaço os artistas e escritores estarão comercializando suas obras. No sábado (28), o período vespertino será todo dedicado à programação com os escritores no 'Encontro com o escritor'. Como programação fixa, de 25 à 27 de março, sempre às 8h e às 15h acontece o Pique-nique literário com Natália Górtz (MT) e Teatro Lambe-Lambe com o Coletivo Caixas no Caminho (MT). Encerrando o Contos do Mato, às 19h00, os narradores convidados realizam uma maratona de histórias. Ainda na programação, no dia 28 de março às 9h, acontece a Mostra de narrativas - Seja um Contador de histórias, que apresentará o resultado da Oficina "Seja um contador de histórias" ministrada por Alicce Oliveira, desde o dia 29 de fevereiro para um grupo de 50 educadores da capital e interior do estado de Mato Grosso. Participam do Contos do Mato, os artistas Natália Gortz (MT), Coletivo Caixas no Caminho (MT), Maurício Ricardo (MT), Jujuba e Ana (RJ), Cia Mapinguary (SP), Vinicius Rangel (MT), Theatro Fúria (MT), Cia. Malas Portam (SP), O Tapete Voador (PE), Danilo Furlan (PR), Keydson Costa (PA).

Serviço Oficina de Escrita Criativa:

Ministrantes: Neliton Gois e Lucas Budóia

Data: 29/03 – 8h as 12h | 25 Vagas

Local: Palácio da Instrução – Salão Nobre

Com emissão do certificado pela Umanos Editora.

Inscrições: [email protected]com

Fotos: Pedro Mutzenberg
...

AGENDA CULTURAL POR GILDA PORTELLA

 

BURGER FEST MT

O maior e mais gostoso festival do Centro Oeste, BURGER FEST MT, chega em sua 6ª edição em CUIABÀ.

Desafio devoradora e devorador Burger Fest MT- Concurso Melhor Hambúrguer – Concurso Melhor Batata McCain

Entrada e Estacionamento gratuito

Data: 13, 14 e 15/03 de Março .Horário: 17h as 00h

Local: Centro de Eventos do Pantanal Mais informações (65) 9 9217-2992

CÃO LATINO

Data: 11 de março Local: Cão Latino Bar

Quarta tem lançamento do Livro “No Limiar” e Pocket show do  Milton Guapo

Depois a noite segue com Kris Amorin, com o melhor do reggae nacional e pop rock

 Data: 11 de março Local: Cão Latino Bar

 

Data 12 de março Local: Cão Latino Bar

Quinta é dia de curtir o melhor do Blues, com um dos mais conceituados guitarristas do gênero no Brasil: João Fortes, que na ocasião se apresenta ao lado de Allan House!!! Imperdível!!!

 

Data 13 de março Local: Cão Latino Bar

Karola Nunes comanda o som nessa sexta-feira, com muita música brasileira, raggae, autorais e muito mais!!!

 

 Cavernas Bar 

Vem aí 𝐔𝐧𝐝𝐞𝐫𝐠𝐫𝐨𝐮𝐧𝐝 𝐑𝐞𝐬𝐢𝐬𝐭𝐞𝐧𝐜𝐞
Próximo sábado dia 14/03 às 22h.
O evento contará com a presença das bandas de Cuiabá MT: 𝐆𝐨𝐫𝐞𝐦𝐩𝐢𝐫𝐞, 𝐈𝐧𝐭𝐫𝐨𝐬𝐩𝐞𝐜𝐭𝐨, 𝐓𝐨𝐭𝐚𝐥 𝐃𝐞𝐬𝐚𝐬𝐭𝐫𝐞.
E pela primeira vez em Cuiabá diretamente de Duque de Caxias-RJ a banda 𝐕𝐄𝐋𝐇𝐎
Ingressos já estão a venda no 𝐂𝐚𝐯𝐞𝐫𝐧𝐚𝐬 𝐁𝐚𝐫
Antecipado 𝐑$𝟐𝟎
Na portaria 𝐑$𝟐𝟓
Produção 𝐔𝐧𝐡𝐨𝐥𝐲 𝐀𝐥𝐥𝐢𝐚𝐧𝐜𝐞

CINE DEBATE

Infância, juventude e representação na mídia' é o tema do Cine Debate sobre o curta “Dúdú e o lápis cor da pele” (direção de Miguel Rodrigues) que o OPS - Observatório sobre Publicidade e Sociedade da UFMT realiza no próximo dia 11 de março, às 19h, no SESC Arsenal!

DEBATEDORAS: Andressa Vaz: Publicitária graduada na UFMT- Neusa Baptista Pinto: Jornalista, autora do livro 'Cabelo ruim?'- Cátia Almeida: Professora do IFMT

DATA: 11 de março, 19h LOCAL: SESC Arsenal

CINE TEATRO CUIABÁ

DATA 14 MARÇO LOCAL: CINE TEATRO CUIABÁ

O espetáculo Bereu é resultado das pesquisas de mais de dez anos de convivência com as mulheres do presídio feminino Ana Maria do Couto May em Cuiabá-MT, onde realiza oficinas de teatro, dança e figurino. BEREU é uma gíria usada nas prisões que significa “bilhete, recado, carta” entre as pessoas presas e também com o mundo aqui fora.Ingressos: R$ 30,00 (inteira) R$ 15,00 (meia)

 

DATA 14 MARÇO AS 19 H  LOCAL: CINE TEATRO CUIABÁ

Em 2020 Nico e Lau completam 25 anos de dupla. É uma longa história de luta, conquistas e busca de consolidação no mercado. Uma carreira artística de longa duração só pode ser construída com a gentil conivência do público consumidor. Cada meta alcançada representa um passo a mais na difícil missão de se estabelecer no mercado. Para comemorar toda essa longevidade a Nico e Lau Produções apresenta mais um sucesso no mercado de entretenimento o seu 26º show da carreira, CANHAIN, mais um acontecimento que você não pode ficar fora.

DATA 15 MARÇO AS 20 H  LOCAL: CINE TEATRO CUIABÁ

Um show em comemoração aos 20 anos da personagem mais amada e polêmica de Mato Grosso: Almerinda George Lowsbi. Interpretada pelo ator André D' Lucca, a milionária emergente, que foi casada e amante de diversos políticos, ficará de frente com gestores públicos e parlamentares para falar da vida política e pessoal, em formato de stand up

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) R$ 20,00 (meia) Meia solidária R$ 20,00 + 1kg de alimento

DATA: 16/03 19h LOCAL: Cine Teatro Cuiabá | Gratuito

Nesta edição, o Encontros com a Cultura, apresentaremos o tema: Planejamento e Gestão Cultural, com Claudia Leitão (CE) Economista, Pesquisadora foi Secretária da Cultura do Estado do Ceará, com o  Programa “Cultura em Movimento: Secult Itinerante”, criado em sua gestão, que lhe rendeu o primeiro lugar do Prêmio Cultura Viva, do Ministério da Cultura (MinC), na categoria “Gestão Pública”. E apresentações artísticas dos Pontos de Cultura Ciranda e Art Cidadã. 

http://www.bit.ly/encontro_cultura    INSCRIÇÕES ONLINE - COM CERTIFICAÇÃO

 

ESPAÇO GARDEN

Roda de Samba – Mariana Borealis e Rodrigo Mendes

DATA: Sábado 14/03  LOCALEspaço Garden, a partir das 20h.

Escola de Palhaço 2020 - Operação SóRia

Inscrições abertas!!! Solicite já sua ficha de inscrição enviando um e-mail para [email protected]

E tenha mais informações.


FUZUÊ BAR E BOÊMIA

DATA: 11/3 a partir das 20h, LOCAL: Fuzuê Bar - Praça da Mandioca - Rua Governador Rondon, 737, Centro

O Pedro Oleare Trio recebe o trompetista Levi Barros p uma noite de Choro e Jazz 

Pedro Oleare: guitarra

Thiago Costa: bateria

Paulinho Nascimento: baixo

GABINETE ANTES DO CAFE

DATA: 14 de Março LOCAL: Gabinete Antes do Café INFORMAÇÕES 9 9261-9394

DATA: 14 de Março LOCAL: Gabinete Antes do Café INFORMAÇÕES 9 9261-9394

 Geronimo West Music

Resenha das Irmãs Silvas

Data: 13 de Março  Local: Geronimo West Music

Data: 14 de Março  Local: Geronimo West Music

KARTELL ROCK CLUB

METADE CHEIO

 

QUA/11_Bora marcar o happy que a promo é garantida: das 18h às 21h é só $10 a garrafa de 600ml de Eisenbahn (puro malte);⁣

QUI/12_No quintal vamos ao segundo encontro do clube de leitura @lupusinutero, dedicado exclusivamente ao livro "Mulheres que correm com os lobos", de Clarissa Pinkola Estés. Nesta quinta o mergulho é na história do Barba-azul, a partir das 19h, com entrada livre - mais informações você encontra no perfil oficial do @lupusinutero;⁣

SEX/13_Sexta agora somos o lugar ideal para seu esquenta: a entrada é gratuita e no som rola um house & disco bem de-lí-cia pra chacoalharmos o corpitcho enquanto saem nossos comes e bebes caprichados, numa playlist feita especialmente pra cá por @eusweel;⁣

SÁB/14_E no sábado fechamos a semana com a feirinha mais divertida e consciente do pedaço: o @mercadodaspulgascuiaba. Este é um evento para a circulação de usados, cuja inscrição (para expor) é feita previamente e a visitação é livre. Sugerimos vir sempre com uns troquinhos no bolso e aquela ecobag esperta debaixo do braço, bel

MUNDARÉO

DATA 11 DE MARÇO LOCAL MUNDARÉO 

 MUSEU RONDON

 Musiva

 

Israel Novaes e PH & Michel na Musiva

Data: 15 de Março Local: Musiva

PALÁCIO DA INSTRUÇÃO

Que tal colar com a gente no primeiro 'Arvinte Diálogos'?

Medindo a nossa conversa, a doutora em Artes Cênicas e Mestre em Cinema, Marithê Azevedo, vai apresentar alguns dos conceitos das ocupações socioestéticas, trazendo como plano de fundo as intervenções poéticas vistas em Cuiabá desde 2009.

É hora de pensar nas conexões entre arte e cidade! Então anota aí: dia 15 de março, a partir das 14h, no Palácio da Instrução.

Lembrando que a entrada é gratuita, sem necessidade de inscrições prévias e livre para todos os públicos.

RANCHO PUB 

Poperia Summer 2 | Futebol de Sabão | Piscina Free

Data: 14 de Março  as 23 h  Local: Rancho Pub

TABULEIRO DA PEROLA NEGRA 

 

DATA 10 A 12 DE MARÇO LOCAL: TABULEIRO DA PEROLA NEGRA RUA AROEIRA, 210, JARDIM GRAMADO 

 

DATA 13 DE MARÇO LOCAL: TABULEIRO DA PEROLA NEGRA RUA AROEIRA, 210, JARDIM GRAMADO 

DATA 14 DE MARÇO LOCAL: TABULEIRO DA PEROLA NEGRA RUA AROEIRA, 210, JARDIM GRAMADO 

Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros

Data: 14 de março  Local: Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros

ARVEND - Associação de Mulheres Empreendedoras de Mato Grosso E BLESS AGENCY estará realizando o 1° Congresso Mulher Poderosa que tem como tema central: “Nasci para ser amada e não Abusada”.

O evento é para toda família, além de palestras, depoimentos, terá ainda teatro e música.A entrada é apenas 2 Kg de Alimentos não perecíveis que serão destinados à doação. Faça sua inscrição no link: *https://www.sympla.com.br/congresso-mulher-poderosa__789069

Ultramacho Circuito Morro Da Cachoeira e Águas Do Cerrado

Data: 14 e 15 de março  Local: Serra de São Vicente

Sábado, 14 de março de 2020

Ultrabike 30K

Ultrabike 60K

Duathlon

Domingo, 15 de março de 2020

Trail Run (Corrida em Trilha) 6k

Trail Run (Corrida em Trilha) 12k

Trail Run (Corrida em Trilha) 21k

 

Vozz Club

 

ANNA -Data: 13 de Março Local: Vozz Club

Anna, que atingiu o maior patamar do Underground mundial, Headliner dos maiores festivais do mundo. Se apresenta nesta noite, que possivelmente será a última chance de vê-la, no Club.

Line Up:23:00 RODS NOVAES 02:00 ANNA  04:30 THE MUHAMMADS  Lights: LYLLO

Baile da infernal Data: 14 de Março Local: Vozz Club

O tradicional baile das atléticas, que acontece mensalmente no club, traz no mês de MARÇO, a Atlética INFERNAL, do curso de Comunicação e Artes da UFMT.

Line Up:

23:00 MIAGY 02:00 RAPHA MARTINELLI 04:00 LC JUNIOR Lights: LYLLO

 


Classe cultural prestigia entrega da obra e aprova revitalização

Artistas, produtores culturais, autoridades e público da Casa Cuiabana prestigiaram a entrega da obra de revitalização do equipamento cultural, nesta segunda-feira (02.03), em uma noite marcada por um clima de satisfação e nostalgia. Entre eles, o cantor e compositor Pescuma, que se apresentou com Henrique, Claudinho e convidados.

“É uma honra estar novamente neste palco que eu já pisei tantas vezes, esse patrimônio da cultura mato-grossense, agora lindo e revitalizado. Casa Cuiabana é tradição, ponto de encontro, história. Artistas, população, todos ganham com a entrega da obra”, disse o cantor.

Nessa atmosfera de sarau, com encontro de músicos de todos os gêneros no palco do teatro de arena, e apresentações de dança pelo quintal, o governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Allan Kardec Benitez, fizeram a entrega oficial da obra e apresentaram o novo projeto de ocupação do espaço cultural.

“Este é um trabalho de resgate e valorização da cultura mato-grossense. Revitalizar a Casa Cuiabana é preservar nossa identidade, nossa história, nossas referências. E cuidar da cultura também é fazer o Estado avançar”, enfatizou o governador.

O clima de nostalgia marcou uma das integrantes da família que foi proprietária do imóvel. Pensylvânia Borralho é da terceira geração, ela conta que ouvia histórias do pai que passou muitas tardes visitando a tia naquele quintal cuiabano. “Estou emocionada por ver que o intuito da família está sendo cumprido, que é esse uso do espaço para a valorização da cultura cuiabana”.

Em 2019, o espaço recebeu um público de 7.137 pessoas, alcançadas em eventos, cursos, exposições, ensaios e visitas. Durante a cerimônia de entrega, o secretário Allan Kardec apresentou o novo projeto de ocupação do espaço. A proposta é fazer da Casa Cuiabana um equipamento destinado à criação artística e co-working.

Além de ser aproveitado para os eventos e projetos de formação cultural, haverá salas equipadas para ensaios e apresentações de teatro e de dança e estúdio de som para gravação de música, além de todas as salas que receberão ar condicionado. Outra melhoria será no teatro de arena, que receberá uma tenda para ser usada em shows abertos, cobrindo a área quando houver necessidade.

“Estou muito feliz com o resultado, a Casa Cuiabana é um espaço emblemático, presente na memória da população cuiabana, é a casa da comunidade, dos artistas. Com a entrega da obra as ações aqui serão potencializadas”, disse o secretário Allan Kardec.

Benedito Nunes

Em memória ao artista plástico Benedito Nunes, que faleceu nesta segunda-feira (02.03), mesmo dia de entrega da obra de revitalização da Casa Cuiabana, seu legado e importância para a cultura mato-grossense foram lembrados na cerimônia. E duas obras (uma pintura e uma escultura) do artista ficaram expostas no jardim da Casa Cuiabana, durante todo o evento.

“Hoje foi um dia feliz e triste para a cultura mato-grossense. Entregamos mais um patrimônio cultural revitalizado, a Casa Cuiabana, tradicional espaço público de resistência cultural, no mesmo dia em que perdemos um grande artista, Benedito Nunes, vanguarda da resistência nas artes plásticas, cuja obra é um legado de sua presença entre nós. A reinauguração da Casa Cuiabana se torna, assim, um tributo à vida e obra deste grande cuiabano”, destacou o secretário Allan Kardec.

Abalados com a notícia da morte do amigo, artistas e produtores culturais decidiram ali mesmo pela realização de um sarau em prol da família. A data ainda será definida e o evento será na Casa Cuiabana. Até o momento, 20 obras já foram doadas para um leilão.

Obra na Casa Cuiabana

Após 10 anos sem receber uma obra completa de manutenção predial, a Casa Cuiabana foi revitalizada, com melhorias realizadas na infraestrutura. Entre elas a acessibilidade, instalações elétricas, hidráulica, esquadrias, cobertura, banheiros, forro, pavimentação, piso antiderrapante, praça, substituição do madeiramento e jardim. Uma das mudanças perceptíveis é a nova pintura, em tom de amarelo na fachada, que busca trazer a cor original da edificação, construída no século 18.

Patrimônio histórico e cultural desde 1983, vale ressaltar que a obra de revitalização respeitou e preservou as características originais do prédio. A novidade é o acesso à internet, que era uma demanda antiga dos usuários do espaço cultural, e agora será disponível para o desenvolvimento dos projetos.

Mesmo com a obra, que durou em torno de quatro meses, a Casa Cuiabana ficou aberta, e manteve a programação de eventos e projetos de formação de música, teatro, dança, informática, artes plásticas e capoeira.

Programação

Para o mês de março, há três eventos programados: Feira de Mulheres Empreendedoras (07.03), evento de capoeira (14.03) e Feira do Vinil e de Antiguidades (21.03), todos aos sábados. Também está aberta para o público a exposição Irigaray – Arte – Ikuiapá, com obras inéditas do artista, até o dia 07 de março.


Casa Cuiabana é revitalizada e obra será entregue nesta segunda-feira (02/03)

Após 10 anos sem receber uma obra completa de manutenção predial, o Centro Cultural Casa Cuiabana começa 2020 oferecendo melhor infraestrutura para os artistas, produtores culturais e público. O espaço, que é muito utilizado em projetos artísticos de formação cultural e eventos, foi revitalizado, e a obra será entregue nesta segunda-feira (02.03), às 19h, pelo governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Allan Kardec Benitez. A cerimônia contará com apresentações artísticas de dança e música, e é gratuito para a população. A atração especial será um show do trio Pescuma, Henrique e Claudinho, comemorando 25 anos do grupo.
A cerimônia será marcada pelo lançamento do novo projeto de ocupação da Casa Cuiabana, aproveitando nove salas como espaços de criação artística e co-working. O superintendente de Políticas Culturais da Secel, Jan Moura, explica que, entre as melhorias, serão instalados novos equipamentos de som e iluminação para propiciar um ambiente adequado aos ensaios e apresentações de teatro e dança, por exemplo. Também será montado um estúdio de gravação musical e, no quintal cuiabano, haverá uma tenda para os shows abertos, cobrindo a arena quando houver necessidade.
 
Entre as melhorias já realizadas na infraestrutura do prédio estão acessibilidade, instalações elétricas, hidráulica, esquadrias, cobertura, banheiros, forro, pavimentação, piso antiderrapante, praça e jardim. Uma das mudanças perceptíveis é a nova pintura, em tom de amarelo na fachada, que busca trazer a cor original da edificação, construída no século 18. Patrimônio histórico e cultural desde 1983, vale ressaltar que a obra de revitalização respeitou e preservou as características originais do prédio. A novidade é o acesso à internet, que era uma demanda antiga dos usuários do espaço cultural, e agora será disponível para o desenvolvimento dos projetos.
Mesmo com a obra, que durou em torno de quatro meses, a Casa Cuiabana ficou aberta, e manteve a programação de eventos e projetos de formação de música, teatro, dança, informática, artes plásticas e capoeira. Para o mês de março, o espaço já tem programado três eventos (Feira de Mulheres Empreendedoras (07), evento de capoeira (14) e Feira do Vinil e de Antiguidades (21), todos aos sábados). Também está aberta para o público a exposição Irigaray – Arte – Ikuiapá, com obras inéditas do artista, até o dia 07 de março.
Assessoria de Comunicação 
Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel/MT)
(65) 3613 0225
 

OPERA ORQUESTRA – Dança e música em um só espaço

Inaugura neste mês de março um novo conceito em educação e produção de espetáculos multiculturais em nossa capital matogrossense - Cuiabá. Fruto da fusão de duas grandes vertentes da arte, dança e música, alinham se para a produção da Orquestra Opera dois grandes profissionais da área: Veronica Weber e Fernando Pereira. A primeira, líder na formação e produção de espetáculos de dança em nossa capital, idealizadora do Ópera Ballet, o segundo, um dos mais proeminentes nomes da música de concerto da região, sócio proprietário do Instituto Fernando Pereira (IFP). A proposta é a formação, desde a sua mais elementar educação musical e corpórea à mais tradicional e excelência técnica da dança e da música de concerto, constituindo assim, uma grande Orquestra com o mais exímio corpo de baile e instrumentistas musicais.

O Ópera Ballet nasceu para o mundo da dança em fevereiro de 2000, através das experientes mãos de Verônica Weber. A professora e bailarina, natural de São Paulo, é dona de um extenso e importante curriculum, com longas passagens internacionais. Aos 15 anos, partiu para um período de dois anos na Inglaterra, onde aprimorou seus estudos de ballet clássico numa das mais importantes escolas do mundo. De volta ao Brasil, ingressou no Ballet de Câmara de São Paulo, ficando por lá até a sua volta à Europa para integrar a companhia Deutsh Oper Am Rhein. Dez anos mais tarde, agora no posto de primeira bailarina do ballet da cidade de Trier, na Alemanha, Verônica resolve pegar o caminho de volta à casa. Fixa-se em Curitiba e por fim em Cuiabá. Em fevereiro de 2000 inaugura o Ópera Ballet. Hoje, com mais de 18 anos de experiência e atuação, a instituição coleciona prêmios nacionais e internacionais dentro da atuação no ballet classico, jazz, hip-hop e outras vertentes.

 

Não muito diferente, porém agora no universo da música de concerto, Fernando Pereira, idealizador do IFP, também guarda um invejável currículo. Natural de Americana, interior de São Paulo, iniciou sua formação superior em música pela Universidade de São Paulo USP. Em reconhecimento ao seu talento, aos 20 anos recebeu um convite para integrar a tradicional escola soviética de violino de Leonnid Kogan - conservatório de Moscow, sob a orientação da violinista de renome internacional Evgenia Maria Popova. Durante sete anos no leste europeu, na Academia Nacional de Sophia - Bulgária - Fernando foi solista junto a diferentes grupos orquestrais, interpretando compositores tradicionais europeus e brasileiros.  Após seu mestrado em performance musical, também realizado na Europa, retorna ao Brasil mudando se imediatamente à Cuiabá a convite da então Orquestra do Estado de Mato Grosso. Fundador da Sociedade Cultura Musical, posteriormente Instituto Fernando Pereira, mantém hoje um programa de difusão cultural no estado por meio de grupos distintos de música de câmara e orquestral, apresentando se em programas do SESC, Secretaria de Cultura do Estado, além de projetos próprios tanto na capital e interior.

 

Como professor, também coleciona méritos. Seus alunos se destacam no cenário nacional e internacional, sendo a mais proeminente deles, Lindi Mariane, convidada para participação em concerto na Rússia, República Tcheca e EUA, além de orientar outros tantos que em todo o Estado de Mato Grosso ocupam os melhores rendimentos e maiores cargos no protagonismo musical. Atualmente também é diretor artístico da Orquestra SESI Mato Grosso, bem como músico efetivo da Orquestra Sinfônica de UFMT. 

Trata se assim de um super time de profissionais e de uma grande proposta que, de fato, marcará a presença de nosso estado na produção e formação cultural em dança e música. Vale lembrar que, com a Opera Orquestra, Cuiabá entra para o rol das poucas capitais brasileiras que manterão produções de dança e música enquanto parte de suas atrações anuais de entretenimento, arte e cultura. Quem quiser fazer parte, aprender um instrumento, ou participar do corpo de baile e ou musical, pode saber mais informações se direcionando ao Opera Ballet Unidade Jardim Itália  R. Tivoli, Nº 130 - Jardim Itália, Cuiabá - MT, ou ligar para (65) 2136-6504.


"Vivendo de Amor" com Bell Hooks no Coletivo Negro da UFMT

O Coletivo Negro irá realizar um Grupo de Estudos no qual ira discutir o texto "Vivendo de Amor" da filósofa e escritora Bell Hooks.

É importante que compareça  com a leitura do texto para que possa ter um diálogo produtivo e conversar sobre outras questão relacionadas ao texto..

Será na próxima segunda-feira (02/03/2020), no Auditório 334 do Instituto de Educação - IE/UFMT às 18h00.

No link abaixo vocês podem ter acesso ao texto.

http://www.olibat.com.br/…/Vivendo%20de%20Amor%20Bell%20Hoo…

É o encontro e na troca de vivências que nos fortalece. Participem e tragam seus amigos e amigas!

Esse será o primeiro Grupo de Estudos do Coletivo Negro Universitário da UFMT, temos uma programação de datas já definidas , 27 de abril, 25 de maio, 29 de junho e 27 de julho. Demais informações como textos, local e mediadoras/es estaremos divulgando através de nossas redes sociais. Instagram @cnuufmt e Facebook: Coletivo Negro Universitário da UFMT, Email para contato: [email protected]com
A mediação será pela Beatriz Santos Passos, Graduanda em Jornalista na UFMT e colaboradora do coletivo Com_texto e Elli Maria, Graduanda em Filosofia na UFMT e assistente de serviços gerais na rede municipal de educação.

Coletivo Negro Universitário - UFMT

 

 

 

Bell Hoohs 

Com uma vasta produção (possui mais de 30 livros, o que inclui obras infantis), a feminista, escritora, crítica cultural e ativista estadunidense é pouco conhecida (e traduzida) no Brasil para além dos círculos de organizações acadêmicas e de movimentos de mulheres negras. Porém, há um crescente interesse pela obra de hooks que fornece elementos fundamentais para a compreensão de questões conectadas ao debate de raça gênero e classe.

bell hooks nasceu em 1952 em Hopkinsville, uma cidade rural do estado de Kentucky, no sul dos Estados Unidos. Batizada como Gloria Jean Watkins, adotou o nome pelo qual é conhecida em homenagem à bisavó, Bell Blair Hooks. Formou-se em literatura inglesa na Universidade de Stanford, fez mestrado na Universidade de Wisconsin e doutorado na Universidade da Califórnia. Seus principais estudos estão dirigidos à discussão sobre raça, gênero e classe e às relações sociais opressivas, com ênfase em temas como arte, história, feminismo, educação e mídia de massas. É autora de mais de trinta livros de vários gêneros, como crítica cultural, teoria, memórias, poesia e infantil.

Na infância, estudou em escolas públicas para negros, pois nos Estados Unidos ainda havia escolas que praticavam segregação racial. Na adolescência, quando passou para uma escola integrada, viveu a discriminação de ser minoria numa instituição onde tanto os professores quanto os alunos eram majoritariamente brancos.

De família numerosa — cinco irmãs, um irmão –, pertencente ao que os norte-americanos chamam de classe trabalhadora, bell hooks usou a própria vida, a vizinhança e a escola como fontes dos seus primeiros estudos sobre raça, classe e gênero, sempre buscando nesses três elementos os fatores da perpetuação dos sistemas de opressão e dominação. Seja de brancos contra negros; de homens (mesmo negros) contra mulheres; de ricos contra pobres.

Observadora sagaz da realidade, bell hooks é capaz de escrever palavras que doem como um soco no estômago, mas que são ditas com grande convicção, sinceridade e um estilo inconfundível. Já foi premiada com um The American Book Award, um dos prêmios literários de maior prestígio dos Estados Unidos. Entre as influências da autora, além de Martin Luther King, Malcom X e Eric Fromm, figuram as teorias de educação defendidas pelo brasileiro Paulo Freire.

Foi durante a faculdade que bell hooks começou a escrever seu primeiro livro, Ain’t I A Woman [Eu não sou uma mulher], publicado em 1981. Onze anos depois, o site Publishers Weeklyespecialista no ramo de publicação literária, avaliou Ain’t I A Woman como um dos vinte livros mais influentes escritos por mulheres nos vinte anos anteriores.

 

Assim como outras mulheres negras, hooks apontou que o feminismo mainstream focava em um grupo seleto de mulheres brancas, com ensino superior, de classe média e alta, centradas em ideais românticos de liberdade e igualdade. Ela percebeu que as mulheres negras se encontravam em um dilema: apoiando o movimento feminista, precisavam abdicar das discussões raciais, e lutando pelos direitos civis estavam à mercê do patriarcado que o dominava.

A escritora sofreu uma série de críticas durante a sua carreira, sendo acusada inclusive por outras feministas de não ser “acadêmica o suficiente”. Isso porque hooks não se submetia aos padrões tradicionais da academia, na intenção de tornar o seu trabalho acessível para todos. Daí também seu grande interesse pela educação — sobretudo pela educação das pessoas negras, historicamente privadas da academia.

“Muitas vezes, as feministas brancas agem como se as mulheres negras não soubessem que houve opressão sexista até que elas expressassem o sentimento feminista. Eles acreditam que forneceram às mulheres negras ‘análise’ e ‘o’ programa de liberação”, escreveu bell hooks. “Eles não entendem, nem imaginam, que as mulheres negras, bem como outros grupos de mulheres que vivem diariamente em situações opressivas, muitas vezes se tornam conscientes da política patriarcal de sua experiência vivida à medida que desenvolvem estratégias de resistência — mesmo que isso não seja feito de forma sustentada ou organizada.”


Página 1 / 7

Próximo »

Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.